quinta-feira, 6 de agosto de 2020

MOSSORÓ: PREFEITURA - 9 PRÉ-CANDIDATOS - 6 SÃO MULHERES

Mossoró conta nove pré-candidaturas à Prefeitura; seis são de mulheres

Faltando 25 dias para o início das convenções que oficializarão os nomes dos postulantes aos cargos de prefeito e vereador, Mossoró soma pelo menos nove pré-candidaturas ao Palácio da Resistência, sede do Poder Executivo local. Desse total, seis projetos têm à frente mulheres: Rosalba Ciarlini (PP), Isolda Dantas (PT), Cláudia Regina (DEM), Irmã Ceição (PTB), Ângela Schneider (PRTB) e, mais recentemente, Bianca Negreiros, vice-presidente estadual do Podemos e que teve seu nome lançado pelo senador e presidente estadual da sigla, Styvenson Valentim.

Bianca Negreiros é historiadora e empresária. Seu nome foi posto no tabuleiro da sucessão mossoroense pelo senador Styvenson. Em conversa com o blog da jornalista Carol Ribeiro, o parlamentar informou que o objetivo de lançar um nome no pleito "não é ganhar, é dar opção para o eleitor analisar e escolher o candidato".

Styvenson afirmou que Bianca foi escolhida pela dedicação voluntária ao partido desde 2018. "Avaliamos a conduta das pessoas, quem tem bom currículo e ficha limpa. E temos dificuldade, porque alguns desistem quando descobrem que não terão acesso a fundo eleitoral", disse.

Ainda segundo o senador, o Podemos já abriu mão dos fundos partidário e eleitoral. A campanha será realizada com base no teto de gastos, com financiamento do bolso do candidato ou através de vaquinha. Ao blog Carol Ribeiro, Styvenson relatou que o teto será baseado no custo da sua campanha ao Senado em 2018, no valor de R$ 35 mil. "Em Natal, por exemplo, a campanha será feita com, no máximo, R$ 50 mil", revelou. Ainda não foi definido valor para Mossoró.

Entre as pré-candidatas, desponta como favorita a prefeita Rosalba Ciarlini. Em seu quarto mandato, a gestora colocará, mais uma vez, seu nome para avaliação dos mossoroenses. A deputada estadual Isolda Dantas (PT) confirmou que também estará na disputa. Em seu primeiro mandato na Assembleia Legislativa, após passagem pela Câmara de Mossoró, a parlamentar busca apoios para o seu projeto, mas já confirma que a desejada união da oposição não irá ocorrer, pelo menos não em sua totalidade.

Já a ex-prefeita Cláudia Regina (DEM) sonha com o retorno ao Palácio da Resistência, após ter sido cassada e não ter completado sequer o primeiro ano de mandato, em 2013. Com o adiamento das eleições para 15 de novembro, Cláudia acredita que, juridicamente, não haverá impedimentos para que sua candidatura seja oficializada. Em tese, a ex-prefeita estaria sim elegível no pleito deste ano, mas o assunto ainda está em discussão no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), inclusive com consultas protocoladas junto à Corte.

Já a Dra. Ângela Schneider (PRTB) é uma das alas do Bolsonarismo em Mossoró. A ortodontista foi uma das pessoas que mais trabalhou pela coleta de assinaturas na cidade para criação do Aliança pelo Brasil. O projeto ainda não saiu do papel, mas Ângela se coloca como um dos nomes da direita conservadora e almeja o Executivo mossoroense.

Por fim, quem também se coloca como pré-candidata é Maria da Conceição Cesáreo, a Irmã Ceição, pelo PTB. Ela já teve seu nome testado nas urnas, para cargos no Poder Legislativo: em 2008, obteve 130 votos a vereadora pelo PSL. Como suplente, chegou a ocupar cadeira na Câmara Municipal durante um mês em 2012, durante afastamento de Maria das Malhas. Em 2018, foi candidata à Assembleia Legislativa, pelo PT, obtendo apenas 412 votos em Mossoró e 627 no estado.

Entre os homens, já tiveram suas pré-candidaturas confirmadas o deputado estadual Allyson Bezerra (Solidariedade) e Dr. Daniel Sampaio (PSL). O professor Gutemberg Dias (PCdoB) também tenta viabilizar o seu nome, mas já admite que poderá disputar uma vaga na Câmara Municipal de Mossoró e apoiar um projeto de consenso no grupo de oposição. O empresário Jorge do Rosário (PL) também chegou a ser apontado como pré-candidato a prefeito, mas afirmou, recentemente, que seu partido pode compor com o Rosalbismo.

“Qualquer escolha é possível. As possibilidades estão na mesa. Existe essa possibilidade sim (ser candidato a vice de Rosalba), porque nós estamos conversando com todos, e evidente que existe essa conversa, porque o partido, em nível de estado, tem conversado com Rosalba, com Carlos Augusto, eu tenho conhecimento, sou comunicado disso, mas eu ainda não sentei, porque o nosso presidente estadual (deputado federal João Maia) estava hospitalizado”, revelou durante entrevista ao jornalista Saulo Vale.

DeFato

Nenhum comentário: