domingo, 12 de julho de 2020

COM À AQUIESCÊCNIA DO STF O RJ ESTÁ ENTREGUE AS 'QUADRILHAS'

PM recebe denúncias de crimes, não age e cita decisão do STF que proibiu operações

Traficantes postaram fotos da invasão da Praça Seca nas redes sociais
No último dia 9 de junho, o chefe da Companhia Destacada da PM em Maricá, Região Metropolitana do Rio, informou a seu superior, comandante do 12º BPM (Niterói), sobre crimes ocorridos na região no fim de semana anterior. Segundo o informe, bailes funk “atraíram marginais de outras localidades que, ao término dos eventos, realizaram roubos, ocorrendo ainda a execução de dois homens que estavam no baile”. Mesmo sabendo dos crimes, a PM nada fez, segundo o mesmo relato: “Cumprindo a determinação do STF, o efetivo não adentrou aos locais, com fito de não colocar em risco a população”.

Documentos internos da PM obtidos pelo EXTRA revelam que a corporação usa a decisão liminar do ministro Edson Fachin, do dia 5 de junho, que proibiu operações policiais no Rio, como justificativa para cruzar os braços. Desde a publicação da determinação, pelo menos três batalhões e uma UPP não agiram, mesmo tendo informação de crimes que ocorriam ou estavam na iminência de ocorrer, e explicaram, por escrito, que o motivo era a proibição.

Fachin, entretanto, permite operações em favelas em “hipóteses absolutamente excepcionais” — nesses casos, a corporação deve justificar a necessidade da ação ao Ministério Público (MP). Cercos, blitzes e capturas fora das comunidades seguem permitidos.

Se em Maricá a decisão de Fachin foi usada como justificativa para a PM não reprimir crimes em bailes funk, na semana seguinte o comportamento da PM foi outro: em 13 de junho, os batalhões de Choque e de Operações Especiais fizeram uma operação no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, para impedir a realização de um baile que comemoraria o aniversário de um traficante. Ao MP, a corporação informou que recebeu informações sobre a presença de chefes do tráfico na favela.

Clique no link abaixo e veja a matéria completa:

Nenhum comentário: