sexta-feira, 15 de maio de 2020

SITE: INFORMAÇÕES EM LIBRAS SOBRE NOVO CORONAVÍRUS

Estudantes criam site com informações em libras sobre o novo coronavírus

Site passa informações em libras sobre o novo coronavírus (Foto: Reprodução)Um estudo feito, em 2019, pelo Instituto Locomotiva em parceria com a Semana da Acessibilidade Surda, mostra que no Brasil há 10,7 milhões de pessoas com deficiência auditiva. Com o objetivo de democratizar as informações sobre o novo coronavírus para essa parcela da população, os alunos do Programa de Pós-Graduação em Tecnologia em Saúde (PPGTS) da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) criaram um site que dá orientação em libras.

Criado em 10 dias por mestrandos e doutorandos, o projeto Unidos pela Saúde mostra como se prevenir, quais são os cuidados que devemos ter com a saúde mental e até como devemos tratar os recém-nascidos e lactentes.

Segundo Alexsander Pimentel, um dos idealizadores da plataforma, muitas famílias ainda desconhecem a libras ou os sinais técnicos e encontram dificuldades ao explicar a pandemia para os parentes com deficiência auditiva. Pensando nisso, o site ensina como traduzir esses termos: é possível aprender a dizer "coronavírus", "dificuldade respiratória" e até mesmo "ficar em casa" na língua de sinais. Na página, todos os textos são acompanhados por vídeos com imagens ilustrativas e intérprete.

O processo de criação do Unidos pela Saúde é simples, mas trabalhoso. Primeiro, é feita uma pesquisa científica sobre os dados do Sars-CoV-2 e da doença causada por ele, a Covid-19. Depois, os alunos escrevem os textos para publicação e, por fim, gravam e editam os vídeos de forma improvisada na casa de uma das participantes da equipe, composta por 16 pessoas.

Nos vídeos, os profissionais da saúde explicam como cuidar de si e do outro em meio à pandemia (Foto: Reprodução)"São pesquisadores de áreas diferentes que estão voltados à saúde e, por isso, conseguimos criar tudo de forma independente. Há técnicos em computação, intérprete de libras e tradutores de textos, por exemplo", afirma Luana Arrial Bastos, que tem a função de traduzir as pesquisas do inglês para o português.

Ao perceber a reação positiva da comunidade surda, a ideia do grupo é que este não seja um projeto temporário, mas que, ao longo do tempo, seja possível adicionar informações sobre saúde e bem-estar. "Ficamos realizados como profissionais e pesquisadores ao ver que mensagens importantes estão chegando a todas as pessoas", conta Bastos. Para conhecer mais, basta acessar o site do Unidos pela Saúde.

Galileu

Nenhum comentário: