quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020

BRASÍLIA: A CANALHADA AGIU AO APAGAR DAS LUZES

EXCLUSIVO: 'Grupo VIP' do Congresso direcionou 3,8 bilhões de verba extra do Ministério do Desenvolvimento Regional

EXCLUSIVO: ‘Grupo VIP’ do Congresso direcionou 3,8 bilhões de verba extra do Ministério do Desenvolvimento RegionalA disputa entre governo e Congresso pelo controle de parte considerável do Orçamento de 2020 é o capítulo mais recente do ‘toma lá, dá cá’ instituído pelo grupo de influência de Davi Alcolumbre e Rodrigo Maia, em Brasília.

O Antagonista descobriu que, no apagar das luzes de 2019, esses parlamentares arrancaram do Executivo um total de R$ 3,8 bilhões em créditos suplementares enviados para o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), então comandado por Gustavo Canuto.

Alocado em PLNs e aprovado numa série de rápidas votações, esse dinheiro já saiu do MDR carimbado por caciques partidários em convênios direcionados a atender interesses paroquiais, como revitalização de praças, pavimentação de ruas e construção de pontes.

Por meio da Lei de Acesso a Informação (LAI) e cruzando com dados do Portal da Transparência, a reportagem conseguiu identificar o destino final desses recursos, que não são contabilizados entre as chamadas emendas impositivas.

Importante ressaltar que esses R$ 3,8 bilhões, empenhados entre 11 e 31 de dezembro, perfazem 92% do total do orçamento extraordinário do MDR em 2019.

Também importa dizer que esses convênios foram negociados diretamente no ministério pelo grupo de líderes partidários ligados preferencialmente a Alcolumbre – sem critério conhecido e em detrimento da maioria dos parlamentares.

Nos próximos posts, O Antagonista revelará quais foram os principais estados e municípios beneficiados com esses bilhões, que certamente terão grande impacto nas eleições municipais de outubro.

O Antagonista

Nenhum comentário: