sexta-feira, 1 de janeiro de 2021

CHINA: CIDADE QUE EXPORTOU COVID PARA O MUNDO AGLOMERA NO ANO NOVO

Primeiro epicentro da pandemia, Wuhan celebra Ano Novo sem distanciamento

Em uma virada de ano atípica para a maioria do mundo ocidental, uma cena chamou atenção. A cidade de Wuhan (China), primeiro epicentro da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2), celebrou a entrada de 2021 – com máscaras, mas sem distanciamento social.

É uma tradição que os habitantes de Wuhan se reúnam na frente do Museu Hankow Customs House para acompanhar o grande relógio nos últimos minutos do ano. Quando todos os ponteiros apontaram para o número 12, as pessoas soltaram balões.

A cena emblemática não lembra o período entre janeiro e abril, quando todos os habitantes de Wuhan foram obrigados a ficarem recolhidos em suas casas. A China registrou 87 mil casos do novo coronavírus desde o começo da pandemia, com 4,6 mil mortes.

Agentes públicos circulavam na multidão, notificando as poucas pessoas que estavam sem máscaras. Segundo a CNN Internacional, as festividades ocorreram sem maiores problemas.

Testes em massa

Em maio, após suprimir completamente a primeira onda do novo coronavírus, o governo de Wuhan testou toda a população quando detectou novos casos surgindo na região. Pela testagem em massa, o governo chinês foi capaz de isolar os doentes e liberar a população geral para suas atividades.

Ainda em janeiro de 2021, uma equipe da OMS (Organização Mundial da Saúde) deve desembarcar em Wuhan para entender mais sobre a pandemia do novo coronavírus. Ainda não há consenso sobre sua origem, mas a teoria mais aceita é que a doença começou a se alastrar em meados de novembro de 2019. Desde então, mais de 83 milhões de pessoas foram contaminadas pela doença que causou mais de 1,8 milhão de mortes no planeta.

IG

Nenhum comentário: