quinta-feira, 31 de dezembro de 2020

MESMO APÓS MORTE DO DONO, CÃOZINHO NÃO SAI DA PORTA DE UPA ATÉ SER ADOTADO

Depois de esperar o dono, que morreu em uma UPA, cachorro ganha novo lar

Miguel Bráz da Silva, de 37 anos, era morador em situação de rua, que tinha um fiel animal de estimação. O homem ia com frequência à Unidade de Pronto Atendimento de Caratinga, em Minas Gerais, acompanhado do cachorro dele. Porém, um dia, ele não saiu mais de lá e o cão continuou esperando o dono em frente a UPA.

Um dia antes da véspera de Natal, o animal foi flagrado deitado na porta da UPA, aguardando a saída de Miguel. No mesmo dia, o homem deu entrada na unidade.

Os funcionários relataram que ele tinha o costume de ir até o local para beber água. Porém, um dia, ele chegou à unidade e teve uma crise convulsiva. Cerca de 12 horas depois, ele morreu. As informações são do G1.

A enfermeira Aline Rezende afirmou: “Sentiu-se mal, teve uma crise convulsiva, foi encaminhado para a sala de emergência, nós fizemos os procedimentos médicos nele e ele ficou em observação durante o dia conosco. No fim da tarde, ele teve uma parada cardiorrespiratória, fizemos todos os procedimentos cabíveis, mas, infelizmente, ele foi a óbito”.

Porém, o animalzinho manteve-se na na porta da UPA por algumas horas. Vendo a situação, alguns funcionários da Unidade de Pronto Atendimento até pensaram em adotar o cãozinho que, a partir daquele momento, ficaria sem a proteção do antigo dono.

A enfermeira ainda acrescenta: “Até rolou um pouco de competição aqui de nós funcionários, falando assim: ‘ah, eu vou levar pra mim’. Cada um querendo. Só que alguém já adotou o animal”.

Novo lar

Mas quem acabou levando o cachorrinho para casa foi um casal de idosos, com o consentimento dos familiares mais próximos do antigo dono.

Com um novo nome, agora Leãozinho, ganhou um novo lar, que fica na zona rural de Caratinga. “Desde quando ele chegou, a gente está tendo carinho, pondo a comidinha, água. No início, ele não queria comer ração, mas agora já está comendo e muita”, afirmou a aposentada Maria das Graças Caetano.

O casal afirmou ainda que Leãozinho é um animal dócil e uma ótima companhia para eles e para um outro cachorro que já morava na fazenda.

metropoles

Nenhum comentário: