quinta-feira, 15 de outubro de 2020

SP: MULHER LEVA DEFUNTO NA AGÊNCIA BANCÁRIA PARA FAZER 'PROVA DE VIDA'

Mulher leva idoso morto para fazer prova de vida em banco

Em Campinas, interior de São Paulo, uma mulher de 58 anos levou o corpo de um homem de 92 anos para uma agência do Banco do Brasil, a fim de tentar realizar a prova de vida. Segundo uma investigação preliminar da Polícia Civil, o objetivo da mulher era conseguir a continuidade do recebimento da aposentadoria. O caso aconteceu no último dia 2.

A mulher usou uma cadeira de rodas para levar o corpo até a agência. Ela é investigada por crime de exposição de cadáver e estelionato previdenciário. As informações são da Veja São Paulo.

– Em determinado momento ela começou a gritar, falando que ele estava passando mal – contou o delegado-titular do 1º D.P de Campinas, Cícero Simão da Costa.

Uma ambulância foi acionada e a equipe constatou que o homem não tinha sinais vitais.

– O [paramédico] que atendeu suspeitou que esse senhor havia falecido há algumas horas – disse ainda o delegado.

O idoso era ex-escrivão da polícia e chegou a ser levado para um hospital.

– Ficamos no aguardo do laudo necroscópico para saber se ele morreu no momento [dentro da agência] ou foi levado morto. O laudo [informou] que ele tinha falecido 12 horas antes de entrar na agência – contou Cícero.

A mulher vivia há 10 anos com o idoso. De acordo com a polícia, ela era responsável por cuidar da pensão dele.

O Banco do Brasil emitiu uma nota sobre o caso e informou que “cumpriu todos os protocolos previstos no contrato de prestação de serviço com a fonte pagadora, o que inclui a exigência de procuração ou a presença do beneficiário na agência”. Leia, abaixo, a nota na íntegra:

“O Banco do Brasil atua para mitigar o risco de fraudes nos pagamentos de benefícios previdenciários com medidas como a identificação do cliente por meio de senhas, cartão e biometria. O BB esclarece ainda que a ocorrência registrada em uma de suas agências em Campinas, São Paulo, não tinha relação com prova de vida do INSS.

O Banco cumpriu, nesse caso, todos os protocolos previstos no contrato de prestação de serviço com a fonte pagadora, o que inclui a exigência de procuração ou a presença do beneficiário na agência.”

pleno.news

Nenhum comentário: