domingo, 16 de agosto de 2020

O PREÇO DO AMOR - NÓS É 'VEI', MAS TEM DINHEIRO!

DF tem 6 mil sugar daddies com patrimônio acima de R$ 50 milhões

homem e mulher na banheira
Há quem diga que sexo e negócios não devem andar juntos, mas essa é a proposta para romances em que o poder financeiro é o principal atrativo. Em sites de encontros, homens endinheirados, conhecidos como sugar daddies, investem alto para conquistar parceiras jovens e ambiciosas, as chamadas sugar babies. No Distrito Federal, 96 mil pessoas estão cadastradas para colocar a modalidade de relação em prática.

Empresários de sucesso, servidores públicos do alto escalão dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, além de advogados milionários integram o grupo de 28,8 mil brasilienses dispostos a gastar fortunas para ter uma sugar baby. O nível de exigência é tão alto quanto a conta bancária dos candidatos. Ao todo, 6.048 sugar daddies afirmaram em seus cadastros dispor de patrimônio avaliado em cerca de R$ 50 milhões.

O Metrópoles obteve um raio-X do perfil dos usuários da plataforma que vivem na capital da República. Engana-se quem aposta que a maioria dos sugar daddies tem idade avançada. De acordo com o levantamento, 30,1% estão na faixa etária compreendida entre 32 e 41 anos. Outros 21,2 % têm entre 23 e 31 anos, e 48,6% dos homens cadastrados estão na faixa compreendida entre 42 e 65 anos.

Babies universitárias 

infográfico sugar daddies
O perfil das mulheres que recheiam o site procurando por um homem que proporcione segurança financeira, presentes, viagens e tudo o que o dinheiro possa comprar também é específico. Segundo o mapeamento feito pela plataforma digital, no DF existem 67,2 mil sugar babies à disposição dos daddies. A maioria delas, exatamente 45.353, é universitária e representa 65,3% do total de inscritas.

A juventude predomina entre as mulheres que compõem o grupo de interessadas em manter uma relação sugar. Quase 64% delas têm idade entre 18 e 24 anos. O restante está na faixa etária de 25 a 35 anos. No grupo, ainda há um universo de 19.104 garotas que relataram ter filhos. No entanto, todas revelaram que o maior desejo é poder desfrutar de uma vida de luxo, além de ter todas as contas pagas pelos daddies.

Procurado pela reportagem, o site ressaltou, por meio de representantes, que o serviço funciona como uma espécie de rede social para pessoas bem-sucedidas que desejam patrocinar o estilo de vida de seus parceiros. “O relacionamento é claro e direto, pois, baseia-se no investimento econômico de homens ou mulheres em troca de uma relação afetiva. O objetivo da união é oferecer ganhos para as partes envolvidas no relacionamento”, resume a assessoria do site.

R$ 20 mil por uma sugar baby

Para ter uma sugar baby, o daddy precisa estar disposto a mimá-la. Eles dão roupa de marca, levam a restaurantes badalados, pagam viagens, faculdade, aluguel e até mesada. O Metrópoles conversou com um homem que banca garota em troca de relacionamento. Não há prostituição, segundo os adeptos do universo sugar.

Sem se identificar, o advogado de 43 anos conta que já se relacionou com mais de uma sugar baby. “As experiências foram sempre muito boas e, por isso, retornei ao site. Fiquei um tempo fora do país e só voltei agora, então retomei as conexões com garotas muito interessantes”, disse.

Perguntado sobre quanto custa manter uma sugar baby, o homem foi taxativo. “Eu, particularmente, gosto de oferecer experiências, além de dinheiro. Faço questão de entender quais são as necessidades da pessoa que está comigo e faço de tudo para ajudá-la. Tudo depende da necessidade de cada uma. Já tive sugar baby que eu pagava a faculdade e dava mesada.

infográfico sugar daddies
O advogado também revelou que já teve sugar baby independente, que não aceitava dinheiro, mas adorava viajar e ganhar presentes. “Não existe um contrato, nem valor pré-definido, as coisas são combinadas. E eu gosto de surpreender. Mas se for fazer uma conta rápida, entre jantares, presentes e viagens, R$ 20 mil dá para manter uma sugar baby bem feliz”, ressaltou.
Apoio financeiro

Com 21 anos e cursando o quarto período de odontologia em uma faculdade particular do DF, a sugar baby ouvida pela reportagem contou que a expectativa em se relacionar com um sugar daddy é diferente para cada pessoa. “Eu estou nessa relação por gostar de homens mais velhos. 

Gosto de me sentir cuidada e protegida e tive a sorte de sempre ser muito bem tratada por sugar daddies“, contou

A garota reforçou que o apoio financeiro é um ponto importante como, por exemplo, não ter que se preocupar em pagar as próprias contas. “Isso é ótimo, principalmente quando sou convidada para um jantar ou frequentar lugares que eu jamais poderia por não fazer parte da minha realidade. 

Ter com quem contar financeiramente é algo muito bom pra mim, principalmente por me ajudar com a faculdade”, justificou.

metropoles

Nenhum comentário: