domingo, 23 de agosto de 2020

A INSEGURANÇA DO 'RIO GRANDE DA MORTE'

Virou festa para a bandidagem fazer arrastão em propriedades rurais. O pior é que os crimes acontecem e ninguém ver uma só ação por parte dos que fazem, ou fingem fazer, a Segurança Pública do Rio Grande do Norte.

Na verdade o cidadão de bem está a deriva, além de ser enganado por um código penal arcaíco e de leis frágeis, ainda é obrigado a conviver com as 'benesses' que são criadas todos os dias em favor dos bandidos. Quando são pegos pela policia nada que uma 'audiência de custódia' não resolva. Mas, fazer o que se alguns bandidos é que fazem e aprovam tais benesses?

Ceará-Mirim, Taipu, Poço Branco, João Câmara e outras cidades circunvizinhas estão vivendo verdadeiro inferno com tantos arrastões. Acabou o sossego dos proprietários rurais. 

Exatamente por sermos alijados de segurança e a bandidagem ganhar benefícios, é que a turma do mal não respeita ninguém, nem delegado de polícia. Neste final de semana 'arrastaram' em uma propriedade do delegado Magnos Barreto. Isso mesmo, arrastram numa propriedade de um delegado. 

A quem recorrer? 

Recorrer as armas não pode, só a bandidagem tem esse privilégio. Recorrer a justiça não sei se vale muito a pena, quem é tratado como bandido nas audiências é o cidadão de bem. Esperar que a bandidagem ataque os criadores das leis pra ver se muda alguma coisa? nem sei se existe essa possibilidade, é meio complicado descobrir onde realmente estão os verdadeiros bandidos.

Tá difícil morar no Brasil!

Nenhum comentário: