domingo, 3 de novembro de 2019

TÁ DIFÍCIL PEGAR BOLSONARO

Crises do governo Bolsonaro, até agora, são um jogo de soma zero

Kacio Pacheco/ MetrópolesSe houvesse uma Organização Mundial de Crises no Governo, como existe a Organização Mundial de Saúde, por exemplo, provavelmente estaria sendo emitido neste momento um sinal de alerta para a subida, cada vez mais rápida, do índice de mortalidade infantil nas crises políticas criadas no governo brasileiro.

A mais recente, essa do porteiro do condomínio do Rio de Janeiro, onde o presidente Bolsonaro tem uma casa, não conseguiu sobreviver 24 horas. O Ministério Público, a quem cabe fazer a acusação em questões penais, revelou que o porteiro, a testemunha-bomba da acusação, havia mentido.

Conclusão: o presidente da República, que estava prestes a ser denunciado como um dos mandantes do assassinato da vereadora Marielle, mais uma vez escapou de uma dessas crises mortais que prometem lhe valer um processo de impeachment fulminante e acabam sempre resultando em três vezes zero.

Dizem que não há sensação melhor do que atirarem em você e errarem o alvo. Mas, no caso do presidente, a coisa parece estar perdendo a graça por força da repetição, da mesma maneira como acaba ficando monótono o sujeito ir à janela todo dia para verificar se a maré vazou depois de ter enchido.

Metrópoles - J R Guzzo

Nenhum comentário: