sexta-feira, 8 de novembro de 2019

RESUMO DE NOTÍCIAS



POLÍCIA: Os policiais civis deliberaram, na tarde desta sexta-feira, 8, por encerrar a Operação Zero deflagrada no início da manhã. A categoria aceitou a última proposta apresentada pelo Governo do Estado durante reunião com o SINPOL-RN, no início da tarde. Com a deliberação por encerrar a Operação Zero, as delegacias voltam ao funcionamento normal.

VACCARI: O ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, preso na Operação Lava Jato desde abril de 2015, entrou na mesma fila do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pediu liberdade nesta sexta-feira, 8, após decisão do Supremo Tribunal Federal sobre prisão em segunda instância. Na quinta, 7, a Corte entendeu que somente pode ser preso quem teve todos os recursos analisados, o chamado trânsito em julgado.

PORTEIRO: Dois policiais civis da Delegacia de Homicídios (DH) da Capital foram, no início da tarde desta sexta-feira, à casa do porteiro do Condomínio Vivendas da Barra que depôs no caso Marielle , no bairro da Gardênia Azul, Zona Oeste do Rio. O porteiro prestou depoimento à Polícia Civil há cerca de um mês no âmbito das investigações sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

ADVOGADA: Repreendida pelo ministro Marco Aurélio durante sessão do Supremo Tribunal Federal (STF) por se dirigir aos ministros por "vocês", a advogada Daniela Borges criticou ter sido interrompida pelo ministro e disse que vê nesse tipo de comportamento uma “tentativa de ser superior ao cidadão”.

MORO: O ministro da Justiça, Sergio Moro, afirmou em nota emitida nesta sexta-feira, 8, que o Congresso pode alterar a Constituição e determinar novamente as prisões após condenação em segunda instância. O posicionamento do ex-juiz da Operação Lava Jato ocorre um dia após maioria do plenário do STF (Supremo Tribunal Federal) decidir que a execução da pena deve ocorrer soomente após o trânsito em julgado, quando não cabe mais recursos da defesa.

FUNKEIRO: O nome de Rennan da Penha – DJ carioca preso no Rio de Janeiro desde abril por associação ao tráfico de drogas – voltou aos assuntos mais comentados do Twitter. O motivo é que ele pode ser um dos beneficiados pela decisão do Supremo Tribunal Federal de abolir a prisão imediata após condenação em segunda instância. Com a decisão do STF, abre-se uma brecha para a soltura do funkeiro – reivindicada com estridência nas redes sociais por fãs e gente ligada ao mundo do funk.

DIRCEU: O juiz federal Danilo Pereira Júnior, da 12ª Vara Federal de Curitiba, manteve nesta sexta-feira (08/11/2019) a prisão do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, apesar da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de proibir a prisão de condenados em segunda instância, antes do transitado em julgado (quando não há mais possibilidade de recursos). Na manifestação, o juiz diz que a decisão sobre a soltura do petista cabe à Justiça estadual.

Nenhum comentário: