quarta-feira, 13 de março de 2019

INTELIGÊNCIA VENEZUELANA CAPTURA JORNALISTA ACUSADO PELO "APAGÃO"

Jornalista acusado de causar apagão é levado por serviço de inteligência da Venezuela

O Sebin levou Luiz Carlos Diaz a sua casa e apreenderam quatro telefones celulares, três laptops e um disco rígido no local. Foto: ReproduçãoO jornalista venezuelano-espanhol Luis Carlos Díaz, que trabalha na estação de rádio Unión Radio Noticias de Caracas, foi capturado na noite de segunda-feira 11 pelo Serviço de Inteligência (Sebin) do governo ditatorial de Nicolás Maduro. A informação é do Sindicato de Trabalhadores de Imprensa da Venezuela. Díaz foi acusado pelo governo venezuelano de ter relação com o apagão que deixou diversas regiões do país às escuras desde a última quinta-feira 7.

Caracas e boa parte da Venezuela estão sem energia desde o dia 7 de março. O blecaute deixo ugrande parte do país sem comunicações, água e eletricidade Foto: MATIAS DELACROIX / AFP
A denúncia de seu desaparecimento foi feita no fim da tarde de segunda-feira pela sua esposa, Naky Soto. O jornalista participaria de um programa informativo sobre o grande blecaute. Durante a madrugada, agentes do Sebin levaram Díaz a sua casa e realizaram uma busca no local. Foram apreendidos quatro telefones celulares, três laptops e um disco rígido. Eles também teriam levado dinheiro e joias.

O jornalista relatou à esposa que foi detido enquanto voltava de bicicleta para casa e confirmou que foi vítima de um tratamento cruel e degradante. Os oficiais afirmaram que Díaz teria cometido "crimes cibernéticos". O venezuelano, que continua detido, deve ser transferido para um tribunal para ser apresentado ao Ministério Público, que deve formalizar as acusações contra ele ou libertá-lo.

O dirigente governista Diosdado Cabello, que acusou Díaz de ter relação com o blecaute, baseou suas acusações em um vídeo de um programa de rádio no qual o jornalista oferece conselhos sobre como manter-se informado e ao mesmo tempo divulgar informações no meio do "apagão" informativo que o país vive durante o blecaute.

O apagão, que começou na quinta-feira 7, deixou várias regiões do país sem luz. Maduro atribuiu o evento a um ataque hacker. "Foi utilizada uma tecnologia de alto nível que só os Estados Unidos possuem", afirmou em pronunciamento. Disse ainda que "há infiltrados na empresa elétrica e que os envolvidos serão identificados e julgados pela Justiça nacional".

A Associação Interamericana de Imprensa (SIP) condenou a detenção e descreveu a captura de Díaz como "um novo ataque contra a liberdade de imprensa" na Venezuela. A associação solicitou a liberação imediata do jornalista.

Época

Nenhum comentário: