segunda-feira, 7 de setembro de 2020

FILHO INVESTIGADO DE FLORDELIS RECEBE R$ 15,6 MIL EM SEU GABINETE

Flordelis emprega no seu gabinete filho com o qual é proibida pela Justiça de ter contato

Gerson Conceição recebe R$ 15,6 mil na função de secretário da deputada e é investigado na morte do pastor Anderson do Carmo
Filho de Flordelis investigado pela morte
do pastor Ânderson, recebe R$ 15,6 mil
em seu gabinete
A deputada federal Flordelis dos Santos de Souza mantém lotado em seu gabinete na Câmara dos Deputados, em Brasília, um de seus filhos afetivos com o qual é proibida pela Justiça de manter contato. Gerson Conceição de Oliveira, que é secretário parlamentar e recebe R$ 15,6 mil, está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo por suspeita de participação na morte do pastor Anderson do Carmo. No último dia 24, Flordelis foi denunciada por ser mandante do crime.

Gerson, que também é pastor e tem comandado os cultos da igreja de Flordelis, foi nomeado para o cargo de secretário parlamentar no início do mandato, em fevereiro de 2019. Como o EXTRA revelou, outros dois filhos afetivos da parlamentar - Carlos Ubiraci e André Luiz de Oliveira - que também eram lotados no gabinete foram exonerados após terem sido presos acusados de participação na morte de Anderson. Gerson, entretanto, foi mantido no cargo.

A deputada federal com o pastor Anderson, morto na residência do casal, em Niterói: ela foi denunciada como mandante do crime
Como Flordelis não pode ser presa, em razão de sua imunidade parlamentar, a juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói, determinou que a pastora cumpra algumas medidas cautelares. Uma delas é a proibição de manter contato com qualquer testemunha da morte de Anderson, outros réus no processo e também aqueles que ainda estão sendo investigados, como é o caso de Gerson.

Após conclusão da segunda fase das investigações, na qual Flordelis, sete filhos e uma neta foram indiciados, a Polícia Civil abriu um novo inquérito para continuar apurando a participação de outras pessoas no crime. Além de Gerson, estão sendo investigados a neta biológica de Flordelis, Lorrane dos Santos Oliveira, a empregada da família, Gilcinéa Teixeira do Nascimento, e o motorista da pastora, Márcio da Costa Paulo, conhecido como Buba.

Gerson chegou à casa de Flordelis em 2006, quando foi colhido como filho afetivo da pastora. Ele morou na casa até 2013, quando se casou. Filhos afetivos são aqueles nunca adotados formalmente, e que por isso não possui Flordelis como mãe em suas certidões de nascimento. Apesar disso, a Polícia Civil do Rio e o Ministério Público estadual viram indícios de nepotismo - prática pela qual um agente público usa de sua posição para nomear ou contratar parentes - no gabinete da deputada, por isso provas foram encaminhadas para a Procuradoria Geral da República.

Em julho do ano passado, o EXTRA questionou Flordelis sobre filhos afetivos possuírem cargos em seu gabinete. Na ocasião, a assessoria de imprensa da deputada afirmou que não havia impedimento legal para as escolhas e nomeações de Flordelis.

Extra

Nenhum comentário: