terça-feira, 7 de julho de 2020

TERRORISMO NA BOLÍVIA: MP PEDE PRISÃO DE EVO MORALES

Procuradoria da Bolívia acusa Evo Morales de terrorismo e volta a pedir prisão do ex-presidente

Imagem de Evo Morales durante entrevista no dia 6 de janeiro de 2020 — Foto: Matias Baglietto/Reuters
Evo Morales, ex-presidente da Bolívia

A Procuradoria Geral da Bolívia voltou a acusar nesta segunda-feira (6) o ex-presidente Evo Morales por supostos crimes de terrorismo e por financiar a prática. Desde dezembro, Evo está na Argentina como refugiado após deixar o poder em uma crise eleitoral.

De acordo com a procuradoria, o ex-presidente teria coordenado por telefone com um líder plantador de coca o bloqueio alimentar e o cerco das capitais durante os conflitos que tomaram o país em 2019, ano de acusações de fraude nas eleições presidenciais.


Os procuradores baseiam a acusação atual em perícias feitas na Colômbia. "As amostras têm uma alta probabilidade de identificar a voz do Sr. Evo Morales Ayma", segundo o comunicado.

"Não deixe entrar comida nas cidades, vamos bloquear, cerco de verdade", diz a voz na suposta ligação do ex-presidente ao líder do plantador de coca Faustino Yucra Yarmi.

É a segunda vez que a instituição judicial solicita a prisão de Evo. Em dezembro, os procuradores pediram a prisão do ex-presidente por sedição e terrorismo nos mesmos casos. Na época, anunciaram que solicitariam sua prisão à Interpol, mas o processo não avançou.

Em fevereiro, o Ministério Público abriu outro processo contra o ex-presidente por suposta fraude eleitoral, mas até agora não houve avanços.

France Press

Nenhum comentário: