quarta-feira, 29 de maio de 2019

CONTRIBUINTE VAI CUSTEAR REMOÇÃO DE NAVIO QUE NAUFRAGOU NO PARÁ

Governo pagará quase R$ 45 milhões para remover navio que afundou com 5 mil bois no Pará

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, firmou contrato de R$ 44,6 milhões com a empresa Superpesa Cia de Transportes para remover o navio ‘Haidar’ do porto de Vila do Conde, Barcarena, nordeste do Pará.

A embarcação, que estava a caminho da Venezuela, naufragou no dia 6 de outubro de 2015, com quase 700 toneladas de óleo e cerca de cinco mil bois vivos – provocando um desastre ambiental na região.

Tarcísio deu seguimento ao processo de contratação da Superpesa, depois que a empresa venceu licitação no ano passado.

Mas a pergunta que fica é: Por que o contribuinte deve pagar pelo serviço?

Afinal, o Haidar tinha como proprietárias as empresas Husei Sleiman e Tamara Shiping; os bois vivos eram do frigorífico Minerva; enquanto as empresas Global Agência Marítima e Norte Trading Operadora Portuária foram as responsáveis pelo embarque, assim como a própria Companhia Docas do Pará.

E a Antaq não cobrou cláusula de remoção no seguro da embarcação?

Vale lembrar que o Porto de Vila do Conde foi objeto de recente leilão público, tendo sido arrematado pela Ultracargo.

Nenhum comentário: