domingo, 25 de outubro de 2020

DORIA QUER VENDER EMPRESAS ESTATAIS DE SP PARA CHINA

“Eles são agressivos, vamos vender aeroportos e linhas de trens”

O governador de São Paulo, João Doria, afirma que vai acelerar os programas de desestatização no estado em 2020 e acredita que concessões e vendas poderão permitir uma arrecadação de pelo menos R$ 40 bilhões. Nesse processo, o governador avalia que a China deve atuar de forma agressiva e que aprofundará sua posição de maior parceira comercial do estado, se distanciando de americanos e argentinos.

Doria falou com exclusividade à coluna ao terminar o Fórum Econômico Social, em Davos. O governador examinou as oportunidades diante da situação da economia global e alertou sobre sobre os riscos que a concentração de renda pode gerar para uma democracia.

Para ele, o momento é o de dar maior ritmo de retirada do estado de alguns setores para abrir espaço para empresas privadas.
Durante o ano, concessões serão oferecidas nos setores rodoviário e metroviário. Duas linhas de trem também serão colocadas em concessão até julho. Uma delas vai ligar São Paulo ao Vale do Paraíba e a segunda fará o percurso entre a capital e Campinas.

Na lista do governo também estão 21 aeroportos que farão parte do programa. Desses, apenas quatro tinham voos regulares e, antes que fossem vendidos, um processo foi estabelecido para que linhas comerciais diárias atendessem cada um deles.

As vendas serão realizadas por blocos. Quem comprar um aeroporto em Ribeirão Preto (SP), por exemplo, terá também de desenvolver outros três aeroportos na região.

A lista de Doria ainda inclui a hidrovia Tietê-Paraná, parques, zoológicos e jardins botânicos. No caso do Complexo do Ibirapuera, o edital será publicado até março. Também haverá um esforço para as concessões no final de 2020 e início de 2021 dos portos de Santos e São Sebastião.

terrabrasilnoticias

Nenhum comentário: