sábado, 25 de julho de 2020

CADA UMA: HOMEM SE DISFARÇA DE IDOSO PARA ROUBAR CASSINO NOS EUA

Disfarçado com máscara de idoso, homem roubou US$ 100 mil em cassinos nos EUA

Uma máscara de látex, carteiras de motorista falsificadas e informações pessoais obtidas na internet. É com essa combinação que um homem de Michigan supostamente conseguiu roubar cerca de US$ 100 mil (R$ 523 mil) de clientes de cassino nos estados do Michigan e do Kansas, de acordo com autoridades federais dos Estados Unidos.

John Colletti, de 55 anos, chegou a disfarçar-se de idoso para não levantar suspeitas, dizem promotores federais.

Ele teria atacado as vítimas obtendo ilegalmente informações pessoais e, em seguida, usando carteiras de motorista falsificadas para sacar fundos de suas contas bancárias pessoais através de quiosques de autoatendimento nos cassinos, segundo uma queixa criminal aberta na quinta-feira (23) na corte federal de Michigan.

Os quiosques, operados pela Global Payments Gaming Services, são usados pela indústria de cassinos para a troca de notas, processamento de premiações, saques, adiantamentos e trocas de ingressos, entre outros serviços.

Os quiosques exigem que os usuários insiram sua carteira de motorista e os quatro últimos dígitos do número do Seguro Social e do número de telefone antes que os fundos da conta corrente possam ser retirados. 

As vítimas tinham se inscrito anteriormente para ter suas contas bancárias vinculadas ao seu perfil no Programa VIP da Global Payments, diz a denúncia.

“Identificamos inicialmente essa atividade fraudulenta e alertamos imediatamente nossos clientes e agentes da lei. Durante a investigação, fornecemos apoio e cooperação que levaram à apreensão desse suspeito”, disse Emily Edmonds, porta-voz da Global Payments, em comunicado à CNN.

Colletti enfrenta acusações de fraude eletrônica, roubo de identidade, fraude e atividades relacionadas a dispositivos de acesso, de acordo com a denúncia.

Atualmente sob custódia de autoridades no Kansas, ele tem uma audiência de detenção marcada para a quinta-feira (30), de acordo com documentos judiciais do estado.

Um porta-voz do Ministério Público dos EUA no Distrito Leste de Michigan se recusou a comentar o caso, embora tenha dito que eles pediram que Colletti fosse transferido para ser julgado em Michigan. O advogado que representa Colletti nos processos de pré-julgamento em Topeka, no Kansas, se recusou a comentar as acusações.

A investigação começou quando a segurança do MGM Grand Casino identificou pelo menos 10 vítimas de roubo de identidade que perderam um total aproximado de US$ 98 mil (cerca de R$ 306 mil) entre 26 de abril e 27 de maio de 2019, de acordo com a denúncia.

Os incidentes foram relatados à polícia de Michigan, que abriu uma investigação e identificou um suspeito, com base em vídeo de vigilância, diz a queixa. Em cada caso, imagens de vigilância mostram uma pessoa usando uma máscara de látex para se parecer com um homem branco idoso, de acordo com a denúncia.

O MGM Grand Detroit não comentou o caso.
Fuga malsucedida

Quase um ano depois dos casos, a polícia tribal de Prairie Band Potawatomi prendeu Colletti em 12 de março por roubo de identidade no Prairie Band Casino and Resort em Mayetta, no Kansas, segundo a denúncia.

Os funcionários do cassino observaram, através de vídeo de vigilância, um indivíduo disfarçado de idoso “usando chapéu de palha, óculos e andador”, retirar cerca de US$ 20 mil dos quiosques.

A segurança do cassino se aproximou do homem, mais tarde identificado como Colletti, e pediu seu número de seguro social porque ele retirou uma quantia grande de dinheiro. “Colletti foi imediatamente ao banheiro, onde removeu seu disfarce. Então, ele saiu do cassino com uma protuberância visível na frente da calça, que se acredita ser a máscara protética”, afirmou a queixa. 

No banheiro, a polícia encontrou roupas, andador, a chave de um carro, duas carteiras de motorista do Michigan e aproximadamente US$ 11 mil em dinheiro, segundo a denúncia.

No verso das carteiras de motorista havia adesivos com o número do seguro social e o número de telefone das vítimas, dados necessários para concluir as transações no quiosque.

A polícia tribal prendeu Colletti e entrou em contato com o FBI, segundo a denúncia. Depois, a polícia revistou o carro alugado por ele e encontrou quatro máscaras, pendrives, ‘livros sobre como se safar de crimes, cartões de identificação e vários recibos de quiosques. Os policiais encontraram a máscara no dia seguinte perto do cassino.

Os investigadores também recuperaram 83 carteiras de motorista, 14 cartões de seguro social com vários nomes, 19 cartões de vários cassinos, 2 cartões de identificação de funcionários da Universidade de Binghamton e 1 cartão de Seguro Social sob um pseudônimo, disseram as autoridades.

Quando os investigadores examinaram os pendrives, descobriram “verificações de antecedentes de vários indivíduos, tutoriais e manuais sobre como falsificar dinheiro e cometer vários outros crimes financeiros, vídeos do MGM Grand Casino Detroit, assinaturas manuscritas e planilhas do Excel com mais mil nomes”, disse a denúncia.

As planilhas incluíam a data de nascimento de cada pessoa, números de seguro social, números bancárias e salário mensal.

Segundo o FBI, os investigadores do Global Payment notaram as semelhanças entre a investigação de roubo de identidade em Michigan e as transações no cassino no Kansas. A polícia tribal contatou investigadores em Michigan, que confirmaram que a foto de Colletti combinava com o indivíduo não identificado na investigação de roubo de identidade do MGM Grand Casino.

CNN Brasil

Nenhum comentário: