quarta-feira, 19 de agosto de 2020

ENFERMEIRA DIZ QUE MENINA ESTUPRADA ERA SÓ FELICIDADE APÓS ABORTO

Menina de 10 anos esbanjava felicidade no rosto após aborto, diz enfermeira

Presentes recebidos pela menina de 10 anos estuprada pelo tio
A menina de 10 anos, estuprada e engravidada pelo tio, de 33 anos, em São Mateus (ES), esbanjava um largo sorriso no final da tarde dessa terça-feira (18/8), três dias após ser internada e realizar – com sucesso – um a interrupção da gestação.

Quem descreve a alegria da garota é Benita Spinelli, coordenadora de enfermagem do Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam), em Recife (PE), onde a criança realizou o procedimento.

A menina recebeu vários presentes (imagem em destaque, obtida pelo Metrópoles) nessa terça, após ser alvo de críticas, sobretudo por grupos conservadores, por realizar a interrupção da gravidez, prevista e autorizada pela Justiça. No domingo (16/8), em meio a protestos, ela precisou entrar no hospital pelo porta-malas de um carro.

“Sempre procurei motivá-la, levantar o astral dela. O que a gente observa, exatamente ontem, em que ela recebeu muitos presentes, a felicidade e o sorriso na face. Essa é a minha maior lembrança”, conta Spinelli, ao Metrópoles.

A coordenadora de enfermagem participou de todo o procedimento. Ela destaca a diferença no semblante da garota quando ela chegou no hospital, no domingo, e quando ela saiu, na madrugada desta quarta-feira (19/8).

“Antes, estava mais retraída, assustada, ela contou a angústia, o sofrimento. E, assim, depois que o procedimento foi realizado, o alívio de todos. A expressão das pessoas, da felicidade, o sorriso, aquela fala mais descontraída”, prossegue.

Spinelli ficou com a menina e a avó dela até às 18h. Ela diz que não sabia quando a garota ia receber alta e que, por isso, não conseguiu ter um momento exato para despedir da família, mas relata que a todo momento a garota se mostrava agradecida.

“O tempo todo ela nos agradecia, se sentindo muito confortável, bastante acolhida pela equipe, que não julgava ela, nem nada, apenas mostrava afetividade. A tranquilidade que fica para a gente é que temos uma equipe humana e solidária”, completa.

Grupos antiaborto pressionaram família de criança grávida após estupro
Grupo antiaborto pressionava família da criança após estupro


metropoles

Nenhum comentário: