sexta-feira, 21 de agosto de 2020

AMÉM: APÓS 10 DIAS INTUBADA MENINA DE 4 ANOS SE RECUPERA DA COVID-19

Menina de 4 anos se recupera da Covid após 10 dias intubada

No início da pandemia do novo coronavírus, as informações que vinham de outros países davam conta de que a doença atacava principalmente idosos e pessoas com comorbidades. No entanto, os especialistas sempre deixaram claro que a Covid-19 poderia contaminar qualquer pessoa.

Maior prova disso é a pequena Nicolly Campos Zanesco, de apenas 4 anos, que ficou 12 dias internada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital da Criança e Maternidade (HCM), em São José do Rio Preto (SP), a 440 km de São Paulo.

Sem problemas de saúde anteriores, segundo a mãe, Letícia Lopes Campos, de 23 anos, Nicolly começou a apresentar febre e a reclamar de dores nos olhos, na barriga e na cabeça no começo de julho. Foi quando a mãe a levou à Santa Casa de Tanabi, a 478 km da capital paulista.

Após ser atendida, Letícia diz que o médico começou a tratá-la como suspeita de dengue e dor de garganta. Após tomar soro, elas voltaram para casa. No entanto, com o passar dos dias os sintomas da menina só aumentaram e elas voltaram para a Santa Casa, onde ficou internada por uma noite. Como sua situação não melhorava, ela foi transferida para o HCM, na cidade vizinha.

– A gente não sabia o que fazer, porque foi muito rápido. Ela foi internada com suspeita de dengue e garganta inflamada e ninguém falava de Covid. Logo que foi transferida para o HCM, foi intubada às pressas na UTI. Foi desesperador – lembra a mãe, que também foi contaminada com o coronavírus, mas ficou assintomática.

Os dias que se seguiram foram de muita angústia para Letícia e o marido, Anderson, que só tinham notícia da filha por telefonemas do hospital. Nicolly ficou 12 dias na UTI, sendo 10 intubada, período em que sofreu uma parada cardiorrespiratória e foi reanimada pela equipe médica. Quando se recuperou, ainda passou mais 4 dias na unidade semi-intensiva antes de ter alta.

– No finalzinho as enfermeiras começaram a fazer chamadas de vídeo com ela. Mesmo assim, era uma angústia por a gente ficar em casa e ela lá no hospital. Assim que teve alta da UTI eu fui ficar com ela – conta Letícia.

No primeiro dia que reviu a filha, Letícia preparou uma carta de agradecimento à equipe do hospital. “Eles foram heróis porque o que fizeram pela minha filha é só gratidão. Fiz a carta e levei uma cesta com bombons para agradecer ao pessoal da UTI pediátrica.” Nicolly recebeu alta no dia 24 de julho e voltou a sua vida normal em Tanabi.

– Ela está bem. Graças a Deus o pior já passou – finaliza Letícia.

*Folhapress

Nenhum comentário: