sábado, 3 de junho de 2017

TRISTE FIM PARA QUEM SE ENVOLVE COM O TRÁFICO

Jovem é queimada viva em floresta por dívida com tráfico de drogas

Um crime bárbaro chocou o interior de Santa Catarina nos últimos dias após o corpo carbonizado de uma jovem de 19 anos ser encontrado em um matagal. O corpo da garota foi encontrada em uma área rural de difícil localização, um ambiente propício para a ‘desova’ do corpo da jovem que chegou a ser carbonizado pelos envolvidos. O crime aconteceu em Brusque, no Vale do Itajaí, em uma região próxima ao município de São Bento do Sul. A cidade inteira está em choque com a notícia da morte da jovem, que tem envolvimento com o tráfico de drogas na região, segundo autoridades que estão investigando o crime que já resultou na detenção de quatro indivíduos suspeitos de terem participado do assassinato.
Roberta Keller foi morta no dia 25 de maio segundo informações divulgadas pelo delegado responsável pela investigação sobre a morte da jovem que abalou o interior de Santa Catarina nos últimos dias. O delegado contou como aconteceu o crime chocante, após a jovem ser obrigada a entrar em um táxi pelos quatro suspeitos que estão detidos. O táxi levou todos até a área rural, e a jovem foi caminhando até uma clareira onde o crime aconteceu, segundo os detalhes fornecidos pelo delegado responsável pela investigação do crime que aconteceu na última quinta feira (25).
Os exames preliminares feitos no corpo da jovem apontam indícios de agressão antes do corpo ser carbonizado. Uma das linhas de investigação acredita que o corpo foi carbonizado quando Roberta ainda estava viva com requintes de crueldade, em uma tentativa de destruir provas sobre o homicídio que aconteceu em uma região no interior de Santa Catarina. Foi jogado gasolina em todo o corpo da jovem antes dela ser queimada viva pelos quatro suspeitos que já estão detidos.
O taxista também foi detido e é apontado como um dos responsáveis pelo crime, além dele o mandante do assassinato também teve sua prisão preventiva decretada, além de um homem e outra mulher que participaram do crime. Uma pessoa que também participou da execução sumária está foragida, e um mandado de apreensão contra o suspeito já foi lavrado pelas autoridades catarinenses.
As investigações começaram no dia (30) após informações serem recebidas pelas autoridades de São bento do Sul. Inicialmente os policiais trabalhavam com dois nomes, que rapidamente foram ligados aos demais suspeitos. A jovem não vivia mais com os pais e tinha uma relação complicada com sua família, por ser usuária de drogas. Antes de serem presos, com os suspeitos foi encontrada uma pá utilizada no crime e os criminosos estavam sujos de barro no dia do assassinato, em que as autoridades pararam o táxi, sem saber que os criminosos haviam acabado de cometer um crime.

Fonte: G1

Nenhum comentário: