sábado, 3 de junho de 2017

O CABARÉ DE LÚCIA TINHA MAIS MORAL

Procurador preso entrou em força-tarefa para vazar informações

O procurador Ângelo Goulart Vilella, preso pela Polícia Federal por entregar informações sigilosas a Josley Batista em troca de propina, calculou minuciosamente seu plano para fornecer ao empresário o que ele precisava.
Desde o primeiro momento em que ele entrou na força-tarefa da Operação Greenfield, que tinha a JBS na mira, Viella já começou a passar a Josley cada passo dado por seus colegas de Ministério Público.
Até o que foi dito na primeira reunião em que Vilella esteve presente chegou aos ouvidos da defesa do empresário.
Hoje, os outros procuradores têm convicção de que ele pediu transferência para a força-tarefa, exclusivamente, para atender aos interesses de Jeosley.

RADAR ONLINE

Um comentário:

Anônimo disse...

foi aí na lucia, que que conclui minha tese de graduação