terça-feira, 27 de outubro de 2020

ENEM X VESTIBULARES - VEJA AS DIFERENÇAS

Descubra as principais diferenças entre Enem e vestibulares

Uma dica importante para quem vai prestar vestibular é conhecer bem as provas. Refazer as questões de anos anteriores e simulados auxiliam também a calcular o tempo e as estratégias. Mas sabe qual a diferença entre as provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e vestibulares?

O professor Daniel Perry, do Anglo Vestibulares, dá algumas dicas para os estudantes que estão se preparando para conquistar uma vaga em uma boa universidade. O primeiro passo é entender o que é o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio)

O Enem é a principal porta de entrada para as universidades federais do país e também é usado para o ingresso em instituições de ensino superior privadas. Universidades portuguesas também aceitam a nota do Enem como forma de ingresso. A nota do exame pode ser usada no Sisu (Sistema de Seleção Unificada) para conquistar uma vaga em uma federal; também para a obtenção de bolsas de estudos via Prouni (Programa Universidade para Todos) e para conseguir financiamento pelo Fies (Fundo de Financiamento Estudantil).

Vestibulares selecionam estudantes para uma vaga em determinada instituição. Um exemplo é a Fuvest (Fundação Universitária para o Vestibular) responsável pelas provas para o ingresso na USP (Universidade de São Paulo), que tem um dos vestibulares mais concorridos do país.

"A principal diferença entre o Enem e vestibulares como da Fuvest e Unicamp está no formato da prova", explica Perry. O Enem é aplicado em dois domingos, o primeiro dia é dedicado aos testes de Ciências Humanas, Linguagens e redação. No Segundo dia, os estudantes encaram questões de Ciências da Natureza e Matemática. "No geral, a primeira fase dos vestibulares é realizada em um só dia, salvo este ano que por conta da pandemia a Unesp e a Unicamp dividiriam a primeira fase em dois dias, mas sem separação de matérias." Essas instituições também realizam uma segunda fase provas, no geral, dissertativas.

O método de correção o Enem também é diferente dos vestibulares. "O Enem usa o TRI (Teoria de Resposta ao Item) que avalia a coerência na pontuação da prova, por essa razão, dois estudantes que acertaram o mesmo número de questões poderão ter notas diferentes", explica Perry. Os vestibulares usam a correção clássica, que só contabiliza o número de acertos.

A prova do Enem é mais contextualizada, com interpretação de texto, de gráficos e de imagens. "Existe uma cobrança de conteúdo, mas não decoreba", avalia. "Muitos vestibulares estão seguindo uma linha semelhante, mas é possível encontrar questões mais conservadoras, com perguntas curtas e que exigem conhecimento específico na resposta, principalmente no vestibular da Fuvest".

A proposta de redação também é diferente no Enem. Os estudantes devem entregar um texto argumentativo e com uma proposta de intervenção fundamentada nos direitos humanos. As redações dos vestibulares variam de instituição para instituição. Na Unicamp, por exemplo, os candidatos recebem duas propostas diferentes para desenvolver o texto.


r7

Nenhum comentário: