quinta-feira, 1 de outubro de 2020

BENEDITA DA SILVA ESTÁ 'BRABA' COM O PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO PALMARES

Benedita da Silva é retirada de lista de Personalidades Negras da Palmares

O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, anunciou, nesta quarta-feira (30/9), a retirada da deputada federal Benedita da Silva (PT-RJ) da lista de Personalidades Negras da instituição.

“Benedita responde pelo crime de improbidade administrativa e seus bens foram bloqueados pela Justiça. O preto, o pobre e o favelado são as maiores vítimas da corrupção”, escreveu Camargo em sua conta no Twitter, para justificar a decisão.

Candidata à prefeitura do Rio de Janeiro, Benedita alega, por meio de nota enviada ao jornal O Globo, que a medida se trata de uma interferência do presidente nas eleições municipais, já que Jair Bolsonaro apoia a reeleição do prefeito Marcelo Crivella (Republicanos). A equipe da petista afirma ainda que irá à Justiça contra o suposto crime de racismo. 

Em uma publicação em suas redes sociais, Benedita também se manifestou contra a medida anunciada por Camargo. "Nestes últimos dias venho sendo alvo de uma campanha de ódio, minhas redes sociais têm sido atacadas por robôs de extrema-direita. E hoje ainda fui surpreendida com a notícia de que meu nome foi retirado da Fundação Palmares. Mais uma decisão arbitrária e ilegal, típica do governo atual. A democracia é uma conquista e o direito de expor as suas opiniões também. Porém , não podemos deixar que esses comportamentos violentos sejam reproduzidos nos dias atuais. Tenho 40 anos de vida publica, minha vida é um livro aberto, não tenho nenhuma condenação e não vou tolerar esses tipos de acusações e ataques, principalmente racistas!", afirmou.

Segundo o jornal, o caso a que se refere Camargo é de 2015, quando a 6ª Vara de Fazenda Pública do Rio determinou o bloqueio de bens e a quebra de sigilos bancário e fiscal da deputada. Ela é acusada pelo Ministério Público de improbidade administrativa por dispensar licitação e gerar “grave prejuízo” ao patrimônio público estadual, em contratos enquanto secretária estadual de Assistência Social e Direitos Humanos. Ela ocupou o cargo de 2007 a 2010, no primeiro mandato de Sérgio Cabral.

Em nota, a defesa da petista afirmou que “com 40 anos de vida pública, a deputada Benedita da Silva já foi vereadora, deputada, senadora, secretária, governadora e ministra, sem jamais ter sido condenada sequer em primeira instância”.

bahianoticias

Nenhum comentário: