sexta-feira, 14 de agosto de 2020

RAUL SEIXAS, EU SOU..... - POR CARLOS SUPLA

Biografia de Raul Seixas ganha festa com bloco de carnaval; veja ...
Eu que andei nos quatro cantos do mundo, procurando. Foi justamente num sonho que ele me falou. Essa noite eu tive um sonho de um sonhador, maluco que sou, eu sonhei o dia em que a terra parou. No dia em que todas as pessoas do planeta inteiro, resolveu que ninguém ia sair de casa. Como se fosse combinado em todo planeta. Naquele dia ninguém saiu de casa. Ninguém. Sonho que se sonha só, é apenas um sonho que se sonha só. Sonho que se sonha junto, é realidade.

Eu nasci há dez mil anos atrás. E não tem nada nesse mundo que eu não saiba demais. Vocês precisam acreditarem em mim. Aprendi o segredo da vida. Eu sou astrólogo. Eu conheço a história do princípio ao fim. Eu sou o início, o meio e o fim. Eu sou a mosca que pousou na sua sopa. Eu sou um maluco total. Mas, um maluco beleza. Eu no meu lado aprendendo a ser louco e você  se esforçando pra ser um sujeito normal. Esse caminho que eu mesmo escolhi, é tão fácil seguir, por não não ter onde ir. Minha nave não vai a lugar nenhum.

Por mim, viveríamos numa sociedade paralela. Onde não pagariamos nada. Seria tudo free. Tá na hora, agora é free. Faz o que tu queres há de ser tudo da lei. Da lei. Viva a sociedade alternativa. Mas, fiquem sabendo que eu não sou cowboy fora da lei. Eu não quero andar na contra mão. Paixão e nada mais. Coisas do coração. Freud explica.

Poderia ter entrado na política. Mas, não preciso ler jornais, mentir sozinho eu sou capaz. E disse a minha mãe que não queria ser prefeito. Pode até que eu seja eleito, mas, vai alguém querer me assassinar... Mamãe eu não queria. Eu em...

Eu não sou besta pra tirar onda de herói, sou vacinado. Durango Kid só existe no gibi. Também falei a papai que não quero provar nada e que eu já servi a pátria amada e que todo mundo cobra a minha  luz.

Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante do que político. E do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo.

As vezes você me pergunta, e eu não tenho nada a dizer. Cada um de nós é um universo. Perguntas não vão lhe mostrar. Que a vida é seria e a guerra é dura. Sem saber se é  bom ou se é  ruim. Vai pra o trabalho todo dia. E se hoje é domingo, missa e praia, céu de anil, tem sangue no jornal. O diabo dá os toques. Ligo o rádio e ouço um chato que me grita nos ouvidos: É  o rock das aranhas. Uma trilha sonora de um disco voador. Eu também vou reclamar. Seu moço do disco voador, me leve com você, pra onde você for. Pare o mundo que eu quero descer. Mas, sabe de uma coisa, eu é que não fico no trono de um apartamento, com a boca escancarada cheia de  dentes, esperando a morte chegar. 

Quem vai chorar? Quem vai sorrir?
Quem vai ficar? Quem vai partir?

Ói, ói meu amigo, não diga que a canção e a vitória estão perdidas. Se é de batalhas que se vive a vida. Tenha fé em Deus, tenha fé na vida.

Tente outra vez. Aaaméééémm...


Tenho dito.

Nenhum comentário: