terça-feira, 14 de julho de 2020

FILIAÇÕES: AS DIFICULDADES DO 'ALIANÇA PELO BRASIL'

Partido de Bolsonaro, Aliança coleciona percalços, 'filia' até mortos e tem só 3% das assinaturas necessárias

O partido ainda em formação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Aliança pelo Brasil, obteve 3,2% das assinaturas necessárias e 61% foram rejeitadas. Além disso, cerca de 44 nomes na lista de assinaturas são de pessoas que já morreram. A informação foi divulgada pelo jornal Folha de São Paulo, neste sábado (11).

Segundo a reportagem, o partido tem apenas 15.721 das 492 mil assinaturas de apoio que são exigidas pela legislação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). De acordo com o órgão, 150 eleitores que estão entre os apoiadores do partido não existem.

De acordo com a publicação, o principal motivo de rejeição, que equivale a 71% das fichas barradas ou 18.112, é relativo a eleitores já formalmente filiados a algum outro dos 32 partidos existentes. No entanto, a prática é proibida.

Entre os motivos dos apoiamentos serem descartados pelo Tribunal, está a duplicação de 1.284 dos nomes e 3.352 de cidadãos que declararam estado diferente do que consta no cadastro eleitoral.

Ainda segundo a reportagem, o empresário e um dos atuais vice-presidentes da sigla, Luís Felipe Belmonte, afirmou que eventuais erros e imprecisões são pequenos em relação ao tamanho do apoio obtido pelo partido, sendo normais em situações como essa.

“Sabíamos de caso de três falecidos. Um deles já havíamos identificado como falecido após ter assinado o apoiamento. Não tenho conhecimento do que aconteceu com os outros casos”, diz Belmonte.

O partido foi lançado em novembro de 2019 após o rompimento do presidente com Partido Social Liberal (PSL), a sigla que o elegeu.

Nenhum comentário: