quarta-feira, 17 de junho de 2020

'RESPIRADORES' COLOCA MAIS LADRÕES NA CADEIA

Coronavírus: superintendente de Orçamento da Saúde é preso em operação contra desvio de dinheiro público

Carlos Frederico Verçosa Duboc foi preso em casaUma operação do Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção (Gaecc), do Ministério Público do Rio, e do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), deflagrada nesta quarta-feira, visa a cumprir mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão contra acusados de desviar de dinheiro público destinado à compra de respiradores para pacientes que têm a Covid-19. Esta é mais uma etapa da operação Mercadores do Caos.

São dois mandados de prisão preventiva no Rio e outros nove mandados de busca e apreensão - quatro no Rio e cinco em Brasília, todos expedidos pelo Juízo da 1ª Vara Criminal Especializada da Capital (Rio de Janeiro).

Um dos presos é Carlos Frederico Verçosa Duboc, superintendente de Orçamento e Finanças da Secretaria estadual de Saúde. Ele foi contratado na gestão de Edmar Santos na pasta e continuou na equipe do atual secretário, Fernando Ferry. Ele foi preso em casa, em Pendotiba, Niterói, na Região Metropolitana do Rio.

Também foi preso, em casa, o empresário Anderson Gomes Bezerra, às 6h desta quarta-feira. Policiais apreenderam documentos na casa dele no Lins de Vasconcelos, na Zona Norte.

Segundo a Polícia Civil, Carlos Frederico Verçosa Duboc e Anderson Gomes Bezerra serão ouvidos e logo em seguida serão encaminhados para a Polinter, que também fica na Cidade da Polícia. No fim da tarde, devem ser levados para a Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica. O EXTRA ainda não conseguiu contato com as defesas dos dois.

A ação conta com o apoio do Grupo de Atuação Especializada no Combate à Sonegação Fiscal e aos Ilícitos contra a Ordem Tributária (Gaesf/MPRJ); da Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI/MPRJ); do Centro de Inteligência do MPDFT; da Polícia Civil do Rio de Janeiro, por meio do Departamento Geral de Polícia Especializada; e da Polícia Civil do Distrito Federal, através da Coordenação Especial de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Cecor).

A Operação Mercadores do Caos foi deflagrada no início de maio e tem como objetivo combater uma organização criminosa que desviou mais de R$ 18 milhões dos cofres públicos do Rio de Janeiro. O dinheiro era destinado à compra de ventiladores/respiradores pulmonares para tratamento de pacientes com coronavírus em estado grave. Após mais de dois meses da data de entrega dos aparelhos - comprados emergencialmente, sem licitação - nenhum deles foi entregue pelas empresas, nem o dinheiro devolvido.

Extra

Nenhum comentário: