sexta-feira, 15 de novembro de 2019

RN: A SAÚDE 'ESFACELADA' E A GOVERNADORA NA EUROPA

Após contrato encerrar, Coopmed se oferece para trabalho voluntário no Hospital Regional Deoclécio Marques

O diretor da Cooperativa dos Médicos do Rio Grande do Norte (Coopmed), o médico Victor Vinicius, entrou em contato com o subsecretário estadual de Saúde, Petrônio Spinelli, na manhã de hoje, 15, oferecendo trabalho voluntário dos médicos cooperados, com objetivo de resolver a situação que se encontra a ortopedia, no Hospital Regional Deoclécio Marques de Lucena.

Neste fim de semana que inicia hoje, liderado pelo feriado de Proclamação da República, a expectativa é de que aumente a demanda nos hospitais de Natal. Porém, o Hospital Deoclécio Marques, em Parnamirim, está com as portas fechadas para o serviço de ortopedia desde o último dia 5, devido ao contrato com a Coopmed ter se encerrado no dia 31 de outubro. Dessa forma, os atendimentos estão sendo direcionados para o Hospital Ruy Pereira e Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel que, por sua vez, está lotado.

De acordo com fala da Dra. Fátima Pinheiro, diretora do Walfredo Gurgel, a instituição já se encontra com 80 pacientes no corredor; 22 dentro do centro cirúrgico e todas as Unidades de Terapia Intensiva (UTIS) estão ocupadas. “Está um caos, a ortopedia do Estado parou” afirma a diretora.

Ainda de acordo com Fátima, muitos fatores contribuem para a situação de calamidade do Hospital. Um deles é que a Clínica Paulo Gurgel não recebe mais demandas do Walfredo, pois atingiu o limite anual de cirurgias que realiza para o Estado. Além disso, o Hospital Memorial, que auxilia nos atendimentos, só consegue receber três encaminhamentos da instituição por dia, o que é insuficiente. “Sai três e entra dez”, afirma a diretora.

Nesse sentido, Vinicius afirmou “A cooperativa está disposta a deixar os médicos trabalhando, mesmo sem receber, a comprar insumo, a gente quer resolver a situação da ortopedia. Agora eu preciso que vocês tenham um gesto de sentar na mesa e querer resolver. Não se trata de vaidade, nem de dinheiro, a população está sofrendo”.

Segundo dados da Coopmed, no Hospital Deoclécio Marques há mais de 100 pacientes internos aguardando cirurgias ortopédicas. Fundado em 2004, pela então governadora Wilma de Faria, a unidade é auxiliadora na resolução de casos complexos de cirurgias ortopédicas, como cirurgias de pélvis e acetábolo. Em números, são feitos mensalmente 2.500 atendimentos ambulatoriais e por ano 6 mil cirurgias ou procedimentos ortopédicos.

Fátima procurou a Secretaria de Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Sesap) ontem para reunião, com o secretário adjunto Petrônio Spinelli e toda a equipe da Coordenadoria de Hospitais e Unidades Regionais (Cohur), com objetivo de solucionar essa problemática. Após o encontro, Spinelli entrou em acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, em decisão de pagar teto-extra à Clínica Paulo Gurgel, para que os atendimentos sejam retomados.

Agora RN

Nenhum comentário: