terça-feira, 26 de novembro de 2019

ARRECADAÇÃO AUMENTOU COM VENDA DE BENS DE TRAFICANTES APREENDIDOS POR MORO

Moro mais que dobra arrecadação com venda de bens apreendidos de traficantes


Resultado de imagem para ministro moroApesar das dificuldades de Sérgio Moro com seu pacote anticrime no Congresso, o ministro poderá encerrar o ano com um tento a favor da Justiça no combate ao crime organizado, uma de suas bandeiras neste ano. A arrecadação com a venda de bens apreendidos de traficantes mais que dobrou em comparação ao valor de todo o ano passado, chegando a R$ 24,3 milhões. Em 2018 foram R$ 10,3 milhões. A explicação para esse salto é a MP editada no meio do ano, transformada em lei em outubro pelo Legislativo, que facilita a venda desse espólio.

Acelerou. Desde a promulgação da lei, foram leiloados 311 ativos, arrecadando mais de R$ 2,6 milhões. Sob Moro, o foco da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), com Luiz Roberto Beggiora, mudou para descapitalizar o tráfico de drogas.

Objetivos. “A Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad/MJSP) está atuando para a melhor e mais eficiente gestão de ativos, para devolver à sociedade os recursos apreendidos do tráfico de drogas, e destinando os recursos para a prevenção e o reaparelhamento das forças de segurança pública, alinhada com as diretrizes do governo federal na desarticulação financeira das organizações criminosas no país”, disse Beggiora à Coluna.

Sarrafo alto. O governo ainda está longe da ambiciosa meta de R$ 100 milhões, fixada no início do ano. A expectativa é de aumentar a cota com os próximos leilões, quinta-feira no Rio Grande do Sul e no Paraná.

Ajuda aí. O governo precisa que os Estados cadastrem os bens apreendidos na nova plataforma criada com a lei para realizar os leilões. O passivo é de 50 mil veículos, joias e eletrônicos, entre outros, parados em pátios da polícia.

Top 5. A maioria está no Sudeste: São Paulo tem 3,7 mil bens e Minas Gerais, 1,6 mil. Em seguida, aparecem Paraná, com 1,5 mil, Mato Grosso do Sul, 1,1 mil, e Rio Grande do Sul, 965.

COLUNA DO ESTADÃO

Nenhum comentário: