quinta-feira, 10 de outubro de 2019

CANONIZAÇÃO: TERÇO DE DULCE SUPERA O DE FRANCISCO

Inflação da canonização: terço de Irmã Dulce custa 3 vezes mais que o do papa

Irmã Dulce está custando caro. Nas lojas de souvenirs do Vaticano a freira baiana, que se tornará Santa neste domingo (13), está valendo mais do que o papa Francisco. No entorno da Praça de São Pedro, um terço com a imagem de Irmã Dulce está sendo vendido por 3 euros (cerca de R$ 15). Já os terços com a imagem do papa Francisco estão sendo vendidos por 1 euro ( cerca de R$ 5). Na Itália, segundo a cotação desta quinta-feira (10), um euro vale R$ 5. 

"Com a canonização acaba que os novos santos ficam mais populares. Eu não conhecia a Dulce mas estamos na expectativa de vender bastante os itens com a imagem dela", diz a vendedora italiana Anne Louise. 

Além do terço - que é de plástico e metal - estão sendo vendidas, pelo mesmo valor, medalhas com a imagem de Dulce e também quadro com a fotografia da nova beata. 

Além de Irmã Dulce, serão canonizados os seguintes beatos: John Henry Newman, cardeal, fundador do Oratório de São Filipe Néri na Inglaterra; Giuseppina Vannini (no século Giuditta Adelaide Agata), fundadora das Filhas de São Camilo; Maria Teresa Chiramel Mankidiyan, fundadora da Congregação das Irmãs da Sagrada Família e Margherita Bays, Virgem, da Ordem Terceira de São Francisco de Assis.

Os itens dos novos santos também estão sendo vendidos pelos mesmos valores dos de Dulce. Até agora, o campeão de vendas é o inglês. "Mas estamos apostando mais em vender as peças de Dulce. Sabemos que vêm mais brasileiros pra cá, do que ingleses. Mas o cardeal é mais conhecido aqui na Europa", estima Valério Apollo que tem no estoque 3 mil terços com a imagem da freira baiana. 

A inflação é romana mas a pechincha é brasileira. Apesar do alto preço é sempre possível negociar. Eu mesmo consegui comprar seis terços por 15 euros - um saiu de brinde. "Todo brasileiro que chega aqui chora pedindo desconto. Uma brasileira disse que aprendeu com Irmã Dulce a pedir as coisas mais baratas", brinca Apollo.

CORREIO

Nenhum comentário: