sábado, 8 de dezembro de 2018

RORAIMA: TEMER FORMALIZARÁ INTERVENÇÃO HOJE (08)

Temer reúne conselhos da República e de Defesa para formalizar intervenção

Resultado de imagem para temerO presidente Michel Temer reunirá na tarde deste sábado (8) no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência da República, em Brasília, os integrantes do Conselho da República e do Conselho de Defesa Nacional, a fim de cumprir a exigência legal de consultar os dois órgãos antes de formalizar o decreto de intervenção federal em Roraima.

Nesta sexta, Temer anunciou a decisão de fazer a intervenção no estado até 31 de dezembro em razão das crises na segurança pública e de migração de venezuelanos. Como a intervenção é integral – e não parcial, como no Rio de Janeiro, onde atinge somente a área de segurança pública –, a governadora Suely Campos (PP) será afastada. O interventor a ser nomeado é o governador eleito, Antonio Denarium (PSL).

Por lei, os dois conselhos devem ser consultados sobre a intervenção, mas uma eventual decisão dos órgãos contrária à medida não tem poder de barrar a decisão do presidente, que necessita de aprovação do Congresso. Nesta sexta, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), participou de reunião com o presidente e seis ministros para tratar do assunto.

Roraima enfrenta uma crise no sistema prisional e outra com a chegada de venezuelanos ao estado.

Agentes penitenciários protestam contra o atraso de dois meses no pagamento de salários. Quartéis e batalhões da Polícia Militar tiveram os acessos bloqueados por mulheres de PMs, também em reação aos salários atrasados.

O governador eleito Antonio Denarium, que será nomeado interventor, afirmou que terá como prioridade o pagamento dos salários em atraso dos servidores estaduais.

Nesta sexta, uma audiência de conciliação no Supremo Tribunal Federal entre os governos federal e estadual sobre os venezuelanos terminou sem acordo. O governo estadual quer recursos para atender ao fluxo de imigrantes em fuga da crise social no país. Em abril, o governo local cogitou fechar a fronteira com a Venezuela, mas o governo federal se colocou contra e o STF negou o pedido.

Com informações do G1

Nenhum comentário: