segunda-feira, 5 de novembro de 2018

SENADO FEDERAL: URUBUS RODEIAM A CARNIÇA

Veteranos e novatos já se movimentam para comandar o Senado a partir de 2019

Montagem com imagens de Cid Gomes, Esperidião Amin, Renan Calheiros, Simone Tebet e Tasso Jereissati — Foto: Gustavo Lima, Luis Macedo, Edilson Rodrigues, Jeferson Rudy e Moreira Mariz, Agência Câmara e Agência SenadoTão logo as eleições de outubro se encerraram e Jair Bolsonaro (PSL) venceu a corrida pelo Palácio do Planalto, o foco nos carpetes azuis do Senado se voltou para a disputa que definirá, em fevereiro de 2019, quem comandará a Casa pelos próximos dois anos.

A derrota de Eunício Oliveira (MDB-CE) nas urnas tirou do páreo o atual presidente do Senado e abriu caminho para nomes da velha guarda da Casa, como Renan Calheiros (MDB-AL) e Tasso Jereissati (PSDB-CE), e até mesmo novatos, como o ex-governador do Ceará Cid Gomes (PDT).

Porém, velhos rostos que voltam à Casa no ano que vem, como o senador eleito Esperidião Amin (PP-SC), pretendem pegar carona na onda conservadora para pleitear o posto número 1 do Senado.

Correndo por fora, a atual líder do MDB, senadora Simone Tebet (MS), aglutina votos da bancada ruralista e empolga quem gostaria de ver uma mulher comandando a Casa pela primeira vez.

A três meses da eleição interna, as movimentações no plenário, nos corredores e nos gabinetes do Senado ainda é silenciosa.

Nenhum comentário: