quinta-feira, 5 de abril de 2018

IMPRENSA INTERNACIONAL REPERCUTE DECISÃO DE MORO

Imprensa internacional repercute decisão do juiz Sergio Moro de mandar Lula se entregar
Minutos após o juiz Sergio Moro determinar, nesta quinta-feira, que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se entregue à Polícia Federal até as 17h desta sexta-feira, jornais estrageiros já estampavam em seus sites a decisão do magistrado. As publicações repercutem a decisão de Moro, que recebeu do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) o documento que dá aval à prisão. A PF preparou uma cela especial para receber o ex-presidente. Ontem, o Supremo Tribunal Federal (STF) negou pedido de habeas corpus apresentado pela defesa do petista.
El País , da Espanha

No destaque, o "El País" noticiou a decisão de Moro para a prisão do ex-presidente antes mesmo de esgotar os prazos legais à defesa. O jornal destacou ainda a ação imediata do juiz logo após a sessão do Supremo Tribunal, que negou o pedido de HC.
"Esperava-se que a entrada na prisão fosse adiada por alguns dias, mas Moro não esperou mais", destacou o jornal.


"Bloomberg"

Segundo a "Bloomberg", "a prisão de um dos líderes mais emblemáticos da história brasileira" está abalando a maior nação da América Latina.
"Depois de deixar o cargo em 2010 com altos índices de aprovação, o ex-sindicalista tornou-se uma figura profundamente polarizadora, amado pela esquerda por suas políticas sociais e insultado pelo direito à corrupção que floresceu sob os 13 anos de governo do Partido dos Trabalhadores", escreveu. 

"The Washington Post", dos Estados Unidos

O "Washington Post" também noticiou o mandado de prisão do juiz Sergio Moro contra o ex-presidente Lula. O jornal americano destacou que Moro já havia condenado Lula.







"Clarín", da Argentina

O mandado de prisão de Lula também foi notícia para o argentino "Clarín", que ressaltou a vontade do líder petista de concorrer a eleição. Segundo a publicação, a intimação de Moro "chamou a atenção" por Lula estar supostamente disposto a se entregar.





"Le Monde", da França

Lula também ganhou a manchete do jornal francês "Le Monde" com o destaque: "Juiz brasileiro emite mandado de prisão contra ex-presidente Lula". O site acrescentou ainda que "ícone da esquerda brasileira" tem até sexta-feira para se apresentar à polícia.
"ABC News", dos Estados Unidos
A emissora de TV americana "ABC News" destaca uma declaração da senadora Gleisi Hoffmann (PT-RS), presidente nacional do PT, em que ela diz que a prisão de Lula "transformaria a maior nação da América Latina em uma república de bananas".

Veículos na América Latina

Ao longo da América Latina, jornais noticiaram o mandado expedido por Moro. No Uruguai, as manifestações constantes do ex-presidente Pepe Mujica em apoio a Lula aumentaram o interesse da população sobre o assunto.







O "ABC Color", do Paraguai, chegou a classificar Moro como "juiz anticorrupção", enquanto o colombiano El Tiempo ressaltou o prazo de um dia para Lula se entregar.



"Corriere Della Sera", da Itália

No jornal italiano, uma reportagem foi publicada após a determinação de Sergio Moro: "Lula está a um passo da prisão". A matéria fez um recorte da nota enviada pelo PT que não consegue imaginar o futuro sem o ex-presidente. "Um dia trágico para a democracia e para o Brasil". O site destacou ainda que os problemas não estão apenas no PT, mas também no cenário político brasileiro, com o atual presidente Michel Temer, que sonha em tentar a reeleição, e têm índices de popularidade muito baixos.
Outros candidatos já têm uma história por trás de vitórias em queda: Geraldo Alckmin, Marina Silva, Ciro Gomes. Depois de Jair Bolsonaro, cujo consenso cresceu muito nos últimos anos. O jornal ainda destacou um dos últimos acontecimentos, como o retorno ao cenário político das forças armadas.

"Financial Review", da Austrália

De acordo com o "Financial Review", da Austrália, diz que a decisão de Moro e a prisão iminente de Lula mergulhou a esquerda brasileira em desordem e "aumentou as chances de uma vitória centrista em outubro", durante as eleições gerais para a presidência.

Nenhum comentário: