segunda-feira, 12 de março de 2018

RN: EM NOTA ROBINSON REBATE MATÉRIA DO FANTÁSTICO

Robinson rebate matéria do Fantástico e pede apuração de vazamento na Justiça

Robinson Farias - Governador RN (7)O governador Robinson Faria emitiu uma nota desmentindo a matéria veiculada na noite deste domingo, 11, no programa Fantástico da TV Globo. Na declaração Robinson classificou o material exibido como algo sensacionalista, que visa pressionar o Poder Judiciário, e acrescentou que a matéria alimenta o “jogo político”.
Neste domingo o Fantástico exibiu uma matéria na qual denuncia um esquema de corrupção na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte em que a ex-procuradora-geral da Casa, Rita das Mercês, acusa o governador de ter recebido pelo menos R$ 100 mil por mês desviados da Assembleia até agosto de 2015, quando foi deflagrada a Operação Dama de Espadas. Além do governador, Rita afirmou que deputados estaduais e federais, senadores também teriam se beneficiado do esquema.
A ex-procuradora disse ainda que para ficar calada e não denunciar o esquema Robinson enviava uma mesada para seu filho, Gustavo Villaroel, através de seu assessor o advogado Adelson Freitas dos Reis. Na matéria citada, aparece Adelson na casa de Rita entregando um pacote de dinheiro, as imagens fazem parte da investigação da Polícia Federal, o assessor ainda cita o nome de Robinson. Rita é investigada pelo Ministério Público estadual por suspeita de desvio de dinheiro da Assembleia Legislativa entre os anos de 2006 e 2011. Em valores de hoje o montante chegaria a R$ 9 milhões.
Em nota Robinson disse ainda que o vazamento do material protegido por segredo de justiça é “ilegal e criminoso”, e que já solicitou a instalação de um inquérito para apurar o caso. O governador também negou que tenha pedido para seu assessor fazer qualquer tratativa usando seu nome.

Leia a nota na íntegra: 
O Governador Robinson Faria repele de forma veemente quaisquer referências ao seu nome em matéria veiculada na TV neste domingo (11).
Entende se tratar de reportagem requentada e sensacionalista, que estranhamente continha material protegido por sigilo de justiça e com a clara intenção de pressionar o Poder Judiciário, além de alimentar o jogo político.
A reportagem não trouxe nenhum fato novo e todo o conteúdo apresentado já é tratado no âmbito da Justiça, sendo o único fato novo trazido pela citada matéria o vazamento ilegal e criminoso de um vídeo protegido por segredo de justiça.
Sobre este fato, inclusive, o Governador Robinson já solicitou a instauração de um inquérito policial, a fim de identificar os autores deste vazamento criminoso.
A citação do governador neste assunto já foi alvo de investigação. Pessoas chegaram a ser conduzidas e logo em seguida liberadas, após responderem e esclarecerem as perguntas formuladas.
O Governador não tem absolutamente qualquer relação com a pessoa de Gutson, como apresentado na matéria. Adelson Reis é servidor da Assembleia Legislativa à disposição do Governo, e o governador jamais tratou com ele sobre quaisquer dos temas mostrados na reportagem, nem tampouco solicitou ao mesmo qualquer tratativa em seu nome, com quem quer que seja.
O próprio Adelson já afirmou às autoridades que era amigo de muitos anos de Rita das Mercês, e que era agradecido a ela por ter lhe empregado na Assembleia Legislativa, que morava em apartamento de propriedade da mesma e que se encontrou com a ela por este motivo e por conta própria.
Adelson também já afirmou em depoimento que o governador jamais pediu que ele tratasse deste assunto com Rita das Mercês, isentando-o de qualquer culpa nesse episódio. Disse ainda que mencionou o governador na conversa para tentar tranquilizar uma amiga em pânico e que o dinheiro que ele a entregou era dele, Adelson, e destinava-se ao filho de Rita, o que também foi revelado na gravação, de forma bastante clara.
O teor da matéria, mais se parecendo com um programa eleitoral de adversários, não tem contemporaneidade no que diz respeito ao Governo Robinson, sobre o qual não existe nenhuma denúncia de irregularidade, em seus mais de 3 anos de gestão.

Nenhum comentário: