domingo, 3 de setembro de 2017

CEARÁ-MIRIM: TREINADOR REVELA SEGREDO DO GLOBO

Treinador revela o segredo do Globo, finalista da Série D

“O Globo vai entrar em campo e vai jogar com alma e coração”. Se o próprio hino da equipe diz isso, os torcedores de não têm mais do que duvidar da Águia de Ceará-Mirim, que vai disputar neste domingo a partida mais importante de sua história.
A equipe entra em campo às 17h deste domingo, dia 3, no estádio Barretão, com expectativa de casa cheia e muita festa na cidade para o primeiro jogo da final da Série D, contra o Operário-PR.
Conquistando um acesso inédito na quarta vez que disputa a competição, o Globo surpreendeu ainda mais ao chegar à decisão do torneio nacional.
Essa é apenas a segunda vez que um clube do Rio Grande do Norte chega a uma final de Campeonato Brasileiro. Antes, apenas o ABC havia chegado a uma decisão, em 2010, ano em que o clube foi campeão da Série C.
Mas o que explica o sucesso do Globo? O treinador Luizinho Lopes, que está à frente da equipe desde março do ano passado, comenta que o segredo do Globo é a sequência do trabalho e o espírito de coletividade em todo o grupo, que mescla nomes experientes com garotos formados nas categorias de base.
“Durante toda a temporada acontecem desgastes, lesões, saídas, suspensões e se o time não estiver unido, fatalmente vai ter uma sequência ruim e aqui não, todos estão focados, nós temos problema zero com relação à indisciplina”, comenta.
Um dos veteranos é o lateral-esquerdo Renatinho Carioca. Com 37 anos, ele deu seus primeiros passos no futebol no Botafogo-RJ, clube onde ficou dez anos. Ele enaltece o trabalho das categorias de base do Globo e acredita que o clube ainda por ir mais além.
“O que tá acontecendo aqui no Globo hoje é totalmente diferenciado e já estamos vendo os resultados e quem sabe mais pra frente poderemos ver um futuro bem melhor”.
Outro jogador com rodagem pelo futebol brasileiro é o meia Renatinho Potiguar, camisa 10 da equipe. Autor de dois gols na competição, Renatinho espera encerrar a carreira em Ceará-Mirim e comenta que o diferencial do Globo é o planejamento.
“Não que as outras equipes não tenham, mas aqui a gente vê uma preparação mais fixa, com apenas uma pessoa no comando. Nosso time joga junto há dois anos, então isso facilita muito, o jogador se adapta mais ao clube do que vir para jogar apenas um estadual. Depois de tudo o que fizemos nesse ano, ninguém mais pode duvidar do Globo”, conclui.
Esta será a primeira vez que o Globo decidirá os confrontos de mata-mata fora de seus domínios. Com um ponto a mais na classificação geral da Série D, o Operário ganha o direito de decidir no estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa, interior do Paraná.
Para o treinador Luizinho Lopes, decidir fora de casa não muda o planejamento da equipe, uma vez que a equipe se adapta às situações de cada jogo e de cada adversário.
“Nós temos uma forma de jogar dentro de casa padrão, que são essência do nosso trabalho. A maioria do que é feito aqui será mantido, não tem porque mudar. Para se ter uma ideia, nós não podíamos sofrer gol contra a Juazeirense e nem por isso nós modificamos nosso estilo”.
Destoantes em termos de existência, Globo e Operário fazem uma decisão de opostos. O time de Ponta Grossa, cidade localizada a 103 quilômetros de distância em relação à Curitiba, possui 110 anos a mais que a Águia de Ceará-Mirim.
O técnico do Globo sabe do peso da camisa do adversário, mas confia em seu trabalho. “É uma equipe que tem um treinador que esteve na conquista do título estadual em 2015, então tem resquícios daquele trabalho, é um time organizado, tradicional em um centro rico do futebol brasileiro, mas a gente confia na regularidade do Globo para tentar ser campeão”, comenta Luizinho.
Para a grande decisão, o tricolor tem cinco desfalques: Negretti (suspenso), Renatinho Potiguar, Rafael, Bismarck e Jamerson, lesionados. Os três últimos já estão fazendo trabalho de transição e a definição de ter os jogadores em campo sairá minutos antes do jogo.
Mesmo com os nomes de fora, o Globo conta com um fator determinante: o Barretão. Ao lado do Operário e do Brusque, o tricolor tem 100% de aproveitamento jogando em casa e espera utilizar a força do mando de campo para conseguir boa vantagem no jogo de ida.
Das sete partidas realizadas até aqui, a equipe venceu cinco, marcando dois ou mais gols. No total, são 13 tentos anotados e apenas um sofrido. Se o desempenho em casa é satisfatório, por outro lado, o adversário deste domingo se inspira em duas grandes exibições fora de casa para trazer o título.
Nos duelos contra Desportiva Ferroviária (2 a 0) e Maranhão (3 a 1), a equipe encaminhou logo no primeiro jogo às classificações para as próximas fases.
Durante as entrevistas após a ascensão à Série C, o técnico Luizinho Lopes enfatizou que “o título de divisão de acesso é o próprio acesso” e que a conquista do troféu pode ser a cereja do bolo.
Com o calendário cheio para o ano que vem, com as disputadas do Campeonato Potiguar, das copas do Nordeste e do Brasil e a Série C do Brasileirão, a Águia espera continuar alçando grandes voos em 2018.

Estrutura de time grande e aposta na base
Fundado em outubro de 2012, o Globo possui um estádio com capacidade para aproximadamente 10 mil pessoas, um centro de treinamento com sala para academia e musculação, um departamento médico e dois campos de treinamento, utilizados tanto pelos profissionais quanto pelas equipes de base.
Aliás, base é uma palavra forte em Ceará-Mirim. Com planos de formar jogadores desde a sua fundação, o Globo conquistou, em 2014, com pouco mais de um ano de atividades, o Campeonato Potiguar sub-19. Dos 23 jogadores do elenco atual, quase 70% são jogadores advindos da base, 16, em números absolutos. Detalhe: cinco ainda jogam no sub-19 e dois atuam no sub-17.
Quem ganhou asas foi Romarinho, atleta que começou a carreira no ABC, de onde foi dispensado e, em seguida, contratado pelo Globo. Com o destaque obtido na atual temporada, ele assinou cotnrato de empréstimo com o Fluminense e já atuou em duas ocasiões.
O goleiro Pedro Paulo, também foi parar no tricolor das Laranjeiras e é titular do sub-20. O volante Erick é outro que teve visibilidade em outro centro: foi para o Portimonense de Portugal, mas voltou para o Globo este ano e hoje é um dos destaques do time.
O treinador do sub-19 e auxiliar técnico, Rafael Chaves, comenta que a integração entre os juniores e os profissionais é fruto de um trabalho proposto pelo treinador Luizinho Lopes. Segundo ele, os métodos utilizados no Globo são uma tendência no Brasil e no Mundo.
“Muitas ideias minhas coincidiram com as de Luizinho e isso facilitou. A gente tenta aproximar os atletas da periodização tática, conceito novo no futebol, em que a gente tenta englobar a parte física, técnica, tática e psicológica num só trabalho”, comenta.
Rafael ainda destaca que um dos sonhos do presidente Marconi Barreto é de que um dia, o time principal tenha todos os jogadores do elenco principal formados no clube.

Novo Jornal

Nenhum comentário: