sexta-feira, 14 de julho de 2017

MUNDO: EX-PRESIDENTES CONDENADOS

Seis ex-presidentes da América Latina condenados por corrupção

O ex-presidente Luiz Ignácio Lula da Silva foi condenado a nove anos e meio de prisão pelo juiz Sergio Moro por corrupção e lavagem de dinheiro. O petista é acusado de ter recebido um tríplex no Guarujá como propina da empresa OAS para ganhar contratos com a Petrobras. O fato é inédito na História brasileira.

Peru
A Justiça peruana ordenou a prisão preventiva do ex-presidente Ollanta Humala e sua mulher, Nadine Heredia, por acusações de terem recebido US$ 3 milhões de propina da empreiteira Odebrecht para financiamento de campanha em 2011. O juiz ordenou detenção por 18 meses, e os dois se entregaram minutos após o anúncio da sentença.

El Salvador
Francisco Flores, presidente do país entre 1999 e 2004, morreu em janeiro do ano passado. Em 2015, ele foi julgado por peculato, lavagem de dinheiro e enriquecimento ilícito, já sob prisão domiciliar desde outubro de 2014. Ele teria guardado doações do governo de Taiwan de cerca de US$ 15 bilhões, destinados a projetos de luta contra a pobreza.

Guatemala
A Procuradoria do país condenou o presidente Otto Pérez Molina por roubar e administrar cerca de US$ 38 milhões dos cofres públicos entre 2012 e 2015. Ele é acusado de associação ilícita, corrupção passiva e fraude aduaneira. Molina apresentou sua renúncia após emissão de uma ordem de prisão pelos crimes, os quais nega ter cometido.

Honduras
O ex-presidente Rafael Callejas (1990-1994) reconheceu a culpa em março de 2016 por participar de uma rede de suborno na Confederação de Futebol da América do Norte (Concacaf) quando dirigia o futebol do país, entre 2012 e 2015. Ele admitiu responsabilidade por crime organizado e fraude eletrônica.

Panamá
Em julho de 2016, um juiz federal dos Estados Unidos decidiu não conceder liberdade sob fiança ao ex-presidente panamenho Ricardo Martinelli, para evitar que ele fugisse enquanto avaliava seu pedido de extradição. Ele foi preso em junho em Miami, e é investigado por um caso de escutas ilegais em seu governo.

O Globo

Um comentário:

Adeilson Soares Barros disse...

Agora vejam o detalhe em todos houve decretação de prisão menos no Brasil. Justiça Rídicula.