terça-feira, 20 de junho de 2017

NATAL: DISPUTA POR ATENDIMENTO NA SAÚDE

Usuários madrugam para disputar atendimento em postos de saúde

A falta de profissionais na rede municipal de saúde tem prejudicado o acesso ao atendimento básico em Natal. Segundo relatos de usuários, o processo de marcação de procedimentos tem sido um verdadeiro transtorno, causado pelas longas filas e pela escassez de vagas nas unidades de todas as zonas administrativas da cidade.
De acordo com o enfermeiro Paulo César Pereira, que utiliza os serviços da Unidade Básica de Saúde do conjunto Gramoré, no bairro Lagoa Azul, zona Norte de Natal, faltam médicos para suprir a demanda da comunidade. “O Programa Saúde da Família foi criado quinze anos atrás no Gramoré. Na época, quando o conjunto tinha 15 mil habitantes, o estudo indicava que a unidade deveria ter quatro médicos. Hoje a população aumentou, mas só há duas equipes”, registra.
Por causa disso, o número de atendimentos tem sido reduzido e os usuários têm se desdobrado para conseguir uma vaga. O enfermeiro conta que diariamente são distribuídas apenas 5 ou 10 fichas na unidade, apesar das longas filas registradas durante a madrugada.
“As pessoas passam a noite na fila, arriscando a vida, sendo submetidas à violência. Já houve, inclusive, o registro de vários assaltos durante a madrugada. Mesmo assim, não há garantia de atendimento porque faltam médicos ou se distribuem poucas fichas”, lamenta.
Paulo César é coordenador da Pastoral da Saúde da Paróquia Dom Bosco, que compreende nove capelas na região. Junto com a entidade, ele encampa uma solicitação de iniciativa popular, que será encaminhada para a Secretaria Municipal de Saúde e o Ministério Público do Rio Grande do Norte no intuito de sensibilizar o Poder Público para que o problema seja resolvido. A denúncia deve chegar aos órgãos em 10 dias.
“Faltam 31 médicos do Programa Saúde da Família em toda a cidade. Na unidade do Gramoré só há dois profissionais: um está emprestado e o outro está com o contrato se encerrando. A eutanásia social com o pobre está visível”, reclama.

CÂMARA MUNICIPAL
Com o intuito de minimizar o problema, a Câmara Municipal de Natal aprovou, na semana passada, um requerimento de autoria do vereador Preto Aquino (PEN) que solicita à Secretaria Municipal de Saúde o encerramento das marcações de procedimentos no período da manhã.
“Nosso objetivo é acabar com a humilhação, os maus tratos e o comércio de fichas na cidade. As pessoas ficam de madrugada até 7h30/8h do lado de fora, tomando banho de chuva muitas vezes, e nem têm certeza de que serão atendidas. Quando um profissional chega, há um número limitado de fichas porque falta médicos”, registra o vereador.
A ideia é que as marcações sejam efetuadas sempre no período vespertino até que o projeto “Saúde Digital” seja totalmente implementado no município. O programa, aprovado pela Câmara Municipal em maio, determina que os agendamentos de consulta devem acontecer pela internet, acabando com as filas nas unidades. A expectativa é que o programa comece a funcionar ainda em 2017.

Um comentário:

Anônimo disse...

Cacá está deixando a desejar.