domingo, 18 de junho de 2017

EXTREMOZ: HOSPITAL CHEIO DE PROBLEMAS

Graves problemas instalado no Hospital Municipal de Extremoz


 
Neste sábado (10/06) estive visitando em Extremoz, o Hospital Maternidade Presidente Café Filho. Na oportunidade, para minha surpresa, pude verificar uma enxurrada de problemas existentes no hospital, os quais, nos leva a acreditar que está existindo uma grande falta de experiência na gestão administrativa da Diretora do hospital, e, principalmente da Secretária de Saúde.

Salientando que verbas federais do Fundo Nacional de Saúde (FNS) estão sendo repassados para o município de Extremoz mensalmente, desde o mês de janeiro (conforme imagem acima).
Pois bem, irei descrever abaixo os problemas encontrados no hospital:

- O laboratório do hospital está em funcionamento mínimo, atualmente não esta sendo realizados exames de urina e exames de funções hepáticas, por falta de reagentes. Isso é humanamente preocupante para um hospital de urgência, a falta de reagentes básicos e equipamentos.
- Equipamentos sem manutenção, por exemplo, o equipamento de Raios-X não esta funcionando. O hospital também esta com deficiência de equipamentos, exemplo disso é a falta de equipamento de medir pressão no setor de enfermagem, o que impossibilita o desenvolvimento do trabalho dos profissionais no setor.
- Déficit grande de profissionais Técnicos de Enfermagem. Já no setor de Serviços Gerais (ASG) está com quantidade além do normal, 8 (oito) ASG por plantão, segundo relatos de profissionais lotados no hospital. Isso esta acontecendo, após uma empresa terceirizada assumir o controle desses profissionais na área hospitalar. O que me foi relatado é a preocupação em relação de como foram contratados, pois não passaram por treinamentos específicos para trabalharem com o setor hospitalar.
- Pacientes internados passam por uma verdadeira falta de dignidade, pois não estão sendo fornecida alimentação para os pacientes e seus acompanhantes, por falta de copa e nutricionista.
- O setor de Maternidade continua fechado.

O município de Extremoz recebe mensalmente repasse de verba federal, que poderiam servir para solucionar esses graves problemas, por se tratar de um hospital de urgência e maternidade. Entre os meses de janeiro/2017 até junho/2017, o Fundo Nacional de Saúde (FNS) repassou à Prefeitura a quantia de R$ 2.984.053,66 (dois milhões, novecentos e oitenta e quatro mil, cinquenta e três reais e sessenta e seis centavos), distribuídos da seguinte forma:

- vigilância em Saúde: R$ 109.812,71
- Atenção Básica: R$ 1.058.613,66
- Média e Alta Complexidade Ambulatorial e Hospitalar: R$ 1.463.182,14
- Investimento: R$ 299.420,00
- Assistência Farmacêutica: R$ 55.025,15

Como se pode ver e comprovar na tabela acima, extraída do site da FNS através do link (http://portalfns.saude.gov.br), é só clicar em "consulta de pagamento consolidada" / no ano 2017 / estado Rio Grande do Norte / Município Extremoz; e  ver que verbas para a área da saúde esta sendo repassado. E isso é o que mais nos preocupa, sabermos que verbas têm, porém, será que falta gestão?

Diante disso, podemos acreditar sim que a gestão na secretaria de saúde e no hospital não está alinhada positivamente.

Esperamos e torcemos que a Prefeitura de Extremoz venha desenvolver mecanismos urgentes de solução para os problemas acima relatados, que realmente estão acontecendo no hospital, para infelicidade da população de Extremoz, os quais são os únicos afetados perante esta situação.

Blog do Talles Pinheiro

Nenhum comentário: