segunda-feira, 22 de maio de 2017

CEARÁ-MIRIM: 22/05 ANIVERSÁRIO DA POETISA ADELLE DE OLIVEIRA

Adelle de Oliveira: Retalhos de Sonhos (1900-1940)
Edna Maria Rangel de Sá Gomes(UFRN)

Filha de João Henrique de Oliveira, homem franzino, estatura mediana e pele muito clara, e de Ana Sobral de Oliveira, moça pequena e muito branca, nasceu a poetisa Adelle Sobral de Oliveira, em Villar, um lugarejo de Ceará Mirim, no Rio Grande do Norte, em 22 de maio de 1884. Teve duas irmãs, Anita e Maria Tereza, a Mariê. 
Ainda criança, por volta de 1889, quando tinha, então, cinco anos, foi com os pais e as irmãs para Belém do Pará. Seu pai, de reconhecida natureza nômade, decide ir em busca da riqueza regional, decorrente do ciclo da borracha, divulgada por parentes estabelecidos na citada região. Ali, estudou as primeiras letras, voltando já moça, em 1899, aos quinze anos, para Ceará Mirim, quando seu pai, vitimado por uma das agressivas doenças tropicais, decide que regressarão para o Vale na esperança de cura e de uma vida normal. 
Porém, o avançado estágio da doença e seu debilitado estado geral de saúde fazem com que ele venha falecer durante a viagem de navio e seja sepultado, para a tristeza de Ana, mãe de Adelle, nas profundezas do oceano.
Em Ceará-Mirim, órfã, e sem mesmo um corpo para enterrar, sem um túmulo onde rezar e depositar flores, a família é acolhida com carinho no engenho O Cumbe e na ampla casa da rua São José, pelos padrinhos de Adelle, Ângelo Varella e Maria Augusta, que tentam suprir todas as suas necessidades, materiais e emocionais.
A morte do pai, a infindável tristeza da mãe, sempre traduzida em orações, lágrimas constantes e isolamento, e as desventuras e decepções da irmã Anita, aproximam Adelle, ainda mais, da religiosidade numa tentativa de superar a dor e parecem ter feito da doce menina uma mulher arredia, silenciosa, reservada, que não queria ser vista. Talvez tenham surgido daí a fala sussurrante, os passos delicados e o adejar com que sua figura é sempre descrita por seus ex-alunos e por quem a conheceu. 
 
 
Clique no link abaixo e leia mais sobre Adele de Oliveira

Um comentário:

Anônimo disse...

Olha muito bom para nossa cidade e que muita gente não sabe nada de Adele ,tendo aqui apenas o nome em uma escola pública e mais nada, é como Auta de Souza em Macaiba- RN, fiquei muito contente em ver e ler esta matéria aqui neste blogs, parabéns João.