quarta-feira, 5 de abril de 2017

POLÍTICA: A PENA DE JEAN WYLLYS

Conselho de Ética da Câmara pune Jean Wyllys com censura escrita

IMG_9526
O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados modificou para censura escrita a penalidade imposta ao deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) na representação da Mesa Diretora envolvendo o episódio em que Wyllys foi acusado de quebra de decoro parlamentar por ter cuspido no deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) durante o processo de votação da admissibilidade do impeachment da então presidenta Dilma Rousseff em abril do ano passado.

4 comentários:

Anônimo disse...

Os que julgaram o parlamentar um dia pode precisar de um grande favor dele. Mas uma coisa é certa: se Bolsonaro fosse o cuspidor no mínimo ele perderia o cargo de deputado.

Anônimo disse...


perdia nada, pois o mesmo se declarou estrupador e insinuou com palavras que só não estrupava uma deputada com quem discutiu por acha-la feia, tudo que esse sócio do governo falou, foi em alto e bom som e a justiça nada fez, e nada vai fazer.

Anônimo disse...

E o que dizer da deputada que iniciou a discussão chamando-o deliberadamente de estuprador quando o deputado estava cobrando uma punição severa para o estuprador que violentou por cinco dias uma jovem e depois a matou junto com seu namorado? Esta senhora que se diz vítima estava defendendo o estuprador por ser "dimenor" (o inocente tinha só 17 anos).

Então me diga quem era que estava defendendo mesmo o estupro? Ora, essa história de apologia ao estupro de que acusam Bolsonaro é só um pretexto para eliminá-lo da disputa presidencial de 2018. Só um idiota não sabe disso.

Anônimo disse...


esse bolsonaro responde processos na justiça e apoia o irmão que dava expediente em uma de suas lojas de moveis no interior do rio de janeiro, pago pela assembléia legislativa daquele estado, agora saber que bolsonaro e irmão são corruptos por traz da faixada de exata politica e religiosa, é ser "o seu igual" ou no minimo canalha.