sexta-feira, 3 de março de 2017

O JUDICIÁRIO E SUAS BENESSES "IMORAIS"

Juiz aposentado recorre ao STF para ter direito de receber auxílio-moradia

A grande maioria dos juízes brasileiros na ativa recebe o auxílio-moradia, benefício que geralmente fica na faixa dos R$ 4 mil aos R$ 6 mil. O pagamento costuma ser visto como uma maneira de inflar os salários, ultrapassando o teto do funcionalismo público. Em tese, ninguém deveria ganhar mais do que R$ 33.763, salário de um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), mas, na prática, isso não é sempre respeitado. Agora, um juiz aposentado apresentou uma ação no STF para que ele também seja beneficiado. Atualmente, magistrados que já pararam de trabalhar não têm direito ao auxílio.
O autor da ação se chama Francisco de Queiroz Bezerra Cavalcanti. Ele é direto e claro: o auxílio-moradia é uma remuneração disfarçada. Logo, mesmo aposentado, também deve ter direito a ele. E mais: pede que União seja obrigada a lhe pagar valores retroativos a 15 de setembro de 2014, com acréscimo de juros e correção monetária. Nesse dia, o ministro Luiz Fux, do STF, determinou o pagamento do benefício aos juízes brasileiros que estão na ativa.

Um comentário:

Anônimo disse...

OS PRÓPRIOS PROMOTORES E PROCURADORES, GUARDIÃES DA LEI E DA MORAL, LUTARAM PARA RECEBER ESSA BENESSE, QUE É UM VERDADEIRO ESTUPRO AOS COFRES PUBLICOS, UMA IMORALIDADE COM O SUOR DO TRABALHADOR BRASILEIRO.

ISSO PRECISA ACABAR, MAS PRECISA QUE O POVO (ORFÃO DO PRÓPRIO FISCAL DA LEI) VÁ ÀS RUAS REINVINDICAR O FIM DESSA IMORALIDADE.