segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

CALAZANS FERNANDES POR RICARDO SOBRAL

 Calazans Fernandes

* Por Ricardo de Moura Sobral.

* Em atenção à professora, escritora e acadêmica Conceição Cruz.

Nossa ilustre confreira, professora universitária pós graduada em Campinas-SP, está escrevendo um livro sobre a educação no Rio Grande do Norte no Governo Aluizio Alves.
Vibrei com a notícia.
Primeiro,  pela qualificação de quem escreve; depois,  pelo tema escolhido.
Acredito que a publicação,  ansiosamente esperada,  terá sido uma valiosa contribuição à história da educação na terra de Poty,  escrita por quem é do ramo e tem conhecimento de causa.
Sugiro a todos que tenham material pertinente, que cedam a Conceição.
No início do governo AA o RN mais parecia uma grande fazenda, bucólico e atavico.
Aluizio,  pois,  teve campo de largo espectro para inovar.
Dotou o estado de método científico de administração e criou várias empresas públicas,  dentre elas a Cosern,  responsável pela implantação no RN da energia produzida pela Hidroelétrica de Paulo Afonso. Inovou no campo da política habitacional criando em Natal o primeiro conjunto habitacional - Cidade da Esperança.
Nesse desiderato, a grande inovação dos anos sessenta ocorreu no campo de pesquisa de Conceição: A educação.
Com efeito,  Aluizio nomeou como secretário de educação o jovem jornalista  (Francisco ) Calazans Fernandes  (31 anos), nascido em Marcelino Vieira (RN),  mas que morava no sudeste desde os 17 anos.
Coube, pois, a Calazans Fernandes a missão de implantar o método Paulo Freire de Educação de adultos em 40 horas; de modo que em apenas 40 dias, trezentos adultos foram alfabetizados no RGN (Angicos).
Natal, onde o prefeito era Djalma Maranhão,  adotou também  programa de educação popular, que ficou conhecido como "de pé no chão também  se aprende a ler".
Houve grande repercussão no Brasil e no exterior.  Logo,  refletiu no campo ideológico. Setores tidos como 'progressistas' viram no Método Paulo Freire um instrumento revolucionário,  posto que ensinava a ler 'conscientizando', despertando para transformação da realidade em que vivia o 'aluno'. Os 'conservadores', por sua vez,  se assustaram com o método Paulo Freire, acusando - o de 'subversivo'.
O Brasil vivia um clima de efervescência política, que desaguaria no movimento de 31 de março,  que, na verdade, ocorreu em 01 de abril.
Calazans Fernandes, como secretário de educação,  foi a figura de proa do método Paulo Freire.
Posteriormente, década  de 70, sempre focado na educação,  Calazans criou o método de educação à distância - o telecurso da rede globo.
Escreveu dois livros: um sobre a experiência de Angicos;  outro, sobre as aventuras do conterrâneo Childerico Fernandes de Queiroz Filho no Yaco.
Quando faleceu em São Paulo em 2010,  aos 81 anos, Calazans tinha seis filhos,  doze netos e um bisneto.
Acredito que sua filha Rita, segundo o que os jornais  publicaram na época, seja a guardiã do acervo deixado por Calazans.
O conheci em uma noite de sarau  no Guaporé,  apresentado por um seu colega de governo AA, ao som do Piano de Oriano de Almeida,  que musicou um poema de Diógenes da Cunha Lima homenageando o vetusto casarão.

Nenhum comentário: