segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

PAPO 10 - FRANCISCO FLÁVIO - 30/01/17

Papo 10 com o Secretário de Agricultura de Ceará-Mirim, Francisco Flávio


1 - Flávio, você poderia fazer um balanço de como se encontra a secretária de Agricultura de Ceará-Mirim?

R - Caro João, a secretaria não possui quadro de servidores técnicos, existe apenas dois administrativos e pessoal de apoio dos mercados, as máquinas e implementos agrícolas estão todos necessitando de serviços urgentes.


2 - A assistência técnica aos agricultores familiares terá continuidade na sua administração?
 
R - Este serviço será mantido e ampliado, pois temos como objetivo trabalhar o associativismo, capacitações e a comercialização. 


3 - O programa Corte de Terras Gratuito, será reiniciado esse ano e terá continuidade?
 
R - O programa será mantido , para isso é necessário decidirmos se alugamos máquinas ou recuperaremos as nossas .No entanto encaminhamos um Termo de referência para abertura de processo licitatório para contratação de oficina.


4 - O novo abatedouro público municipal é uma obra que se arrasta há longos anos, o que tem de concreto para que ele realmente seja concluído e entregue aos produtores de carne em nosso município?

R - Esta obra já se arrasta a um bom tempo, no dia 19 de outubro 2016, estive com o Prefeito eleito Marconi Barretto na sede da EMATER em Natal, conversamos com a Diretória e ficou acertado que a obra retomaria agora em janeiro. Já fomos procurados pela empresa vencedora da nova licitação e o município já providenciou a religação da água e estamos dando o apoio necessário e não mediremos esforços para sua conclusão. 


5 - Quais projetos você teria para fomentar a economia agropecuária do nosso município e quais incentivos para os agricultores por em prática?

R - O principal projeto é manutenção da drenagem dos Rios localizados no baixo vale, revitalização da cultura da mandioca, como também inserir os agricultores familiares e suas associações nos programas governamentais como PNAE e PAA onde existem recursos garantidos para a aquisição da produção.


6 - A agricultura familiar é um projeto viável, onde a gestão da propriedade é compartilhada pela família e a atividade produtiva agropecuária é a principal fonte geradora de renda. Sua gestão vai incrementar esse projeto?

R - Sou filho de agricultor sou técnico agrícola e sou pequeno produtor e com isso temos o dever e a obrigação de divulgar incentivar e implementar o que for possível ,trabalhando e fortalecendo das atividades já desenvolvidas e buscando novas opções.


7 - Flávio, você é técnico funcionário da Emater há muitos anos e conhece muitos lugares. O que você viu de bom por onde você passou que poderia ser implantado em Ceará-Mirim e se você poderá implantar enquanto gestor da pasta da agricultura em nosso município?

R - Tenho 30 anos de experiência nas atividades agropecuárias na, bovinocultura de leite, pastejo rotacionado, na cajucultura no crédito rural dentre outras, mas nossa terra tem pouca tradição nessas atividades. O município tem um grande potencial de águas subterrâneas e fluvias por isso devemos trabalhar fortemente esse potencial.


8 - O prefeito Marconi Barreto também lida com agricultura, você já conversou com ele sobre a importância da sua pasta em nossa cidade e se ele vai lhe respaldar nos seus projetos? 
 
R -Esse é um compromisso assumido com os agricultores familiares e produtores por este motivo aceitei esta missão não tenho dúvidas que ele não medira esforços para que possamos fazer uma revolução no meio rural do nosso município. 


9 - A cana de açúcar que já foi a "rainha do nosso vale" ainda teria lugar de destaque nesse atual momento mesmo com a falência da Usina São Francisco?

R - Trabalhei 15 anos na Usina são Francisco , desfrutei dos melhores tempos da cultura nos anos 80 e 90 , gostaria muito que ela se reerguesse mas não enxergo luz pois além da empresa ter perdido varias propriedades, suas terras são descontinuas e encravadas dentro da cidade e das comunidades, além do setor não possuir uma política governamental.


10 - Flávio, deixe uma mensagem de otimismo para os agricultores cearamirinenses.

R - A palavra é união, ninguém sabe tudo, por isso convido todos os agricultores , seus representantes, o sindicato rural, as associações para juntos construirmos uma política solida, para desenvolver esse seguimento que considero o mais importante não só para Ceara Mirim para toda região.

Nenhum comentário: